<
>

Textor diz por que Botafogo 'vai continuar ouvindo não' de jogadores como James ou Cavani: '2% de chance'

Dono da SAF do Botafogo foi sincero ao falar sobre a complexidade das negociações envolvendo nomes de peso


Neste domingo (26), o Botafogo perdeu do Fluminense por 1 a 0, em clássico carioca válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Nilton Santos. Após a derrota, o dono da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) do Glorioso, John Textor, que esteve presente no estádio para acompanhar o confronto, foi o centro das atenções na zona mista.

Nos últimos dias, nomes de peso voltaram a ser especulados como possíveis reforços alvinegros, entre eles o meia James Rodríguez, ex-Real Madrid e Bayern de Munique, e o empresário norte-americano foi sincero sobre esta e outras contratações que o Botafogo está tentando, e disse que o clube continuará recebendo o 'não' como resposta em alguns casos, já que as negociações não são simples.

"Eu vou continuar perdendo oportunidades, porque estou indo atrás de jogadores que têm 2% de probabilidade de vir. Se eu sonho com Cavani ou James Rodríguez, vou atrás deles. É irracional dizer que é um fracasso (não contratá-los). Você sabe quão difícil é convencer um jogador europeu que não tem nenhuma ligação com o Brasil para deixar tudo que eles conhecem e mudar para o outro lado do mundo?", começou por dizer.

"Vamos continuar indo atrás de grandes jogadores e vamos continuar ouvindo não", prosseguiu.

Sobre a situação do meia colombiano, Textor disse que segue 'no ouvido' no jogador, mas admitiu que o James pode não estar pronto para voltar à América do Sul neste momento.

"James ainda está tentando se provar na Europa, não está pronto para voltar. Vamos ver quais ofertas ele terá, vamos continuar no ouvido dele", finalizou.