<
>

Mistão do Athletico-PR atropela o Red Bull Bragantino no 1° tempo, ultrapassa o Inter e encosta nos líderes do Brasileirão

Com três gols em pouco mais de 20 minutos, o Athletico-PR não deu chances ao Red Bull Bragantino na Arena da Baixada


O Athletico-PR atropelou o Red Bull Bragantino por 4 a 2, neste sábado (25), na Arena da Baixada, em partida válida pela rodada 14 do Campeonato Brasileiro, e chegou ao 11° jogo de invencibilidade na temporada 2022.

Resultado coloca a equipe no 3° lugar com 24 pontos, quatro a menos do que o líder Palmeiras, que ainda entra em campo nesta rodada.

Mesmo contando com boa parte do time reserva por conta da partida diante do Libertad, do Paraguai, nesta terça-feira (28), em duelo válido pela ida das oitavas de final da Conmebol Libertadores, o Athletico-PR começou a partida a mil por hora e abriu o placar logo aos 4 minutos do primeiro tempo.

Vítor Bueno alçou a bola na grande área e Erick, livre, só resvalou na bola, sem chances para Cleiton, para fazer 1 a 0. O Red Bull não se intimidou após o gol sofrido e até conseguiu assustar na sequência com Artur. Mas, não parecia ser o dia da defesa do Massa Bruta.

Em nova investida dos paranaenses, Aderlan cortou mal uma bola de cabeça, Cleiton se mostrou indeciso e Orejuela, como um raio, apareceu cabeçeando o que tinha pela frente para mandar a bola ao fundo das redes e fazer 2 a 0 ainda aos 16 minutos.

No ataque, o Red Bull seguia em cima do time da casa. A equipe de Maurício Barbieri conseguiu uma sequência de escanteios e tentava ameaçar o gol de Bento. Em cobrança de falta perigosa, Hyoran quase descontou. Mas, os contra-ataques do Furacão eram letais.

Em lance de velocidade pela direita, Rômulo entrou sozinho pelo lado direito e chutou fraco na direção do gol. Cleiton não conseguiu a defesa, cometeu grande falha, e a bola morreu no fundo das redes. Aos 26 minutos, o placar mostrava 3 a 0 para o Furacão.

No segundo tempo, o Red Bull voltou com Alerrandro e Carlos Eduardo e melhorou em campo. A questão é que a equipe paulista pecava demais nas finalizações e pouco ameaçava o gol de Bento.

Com o placar favorável de 3 a 0, o Furacão seguia com o mesmo comportamento do primeiro tempo: forte marcação, principalmente pelas laterais e a tentativa de saída rápida nos contra-ataques.

Aos 18 minutos do segundo tempo, uma cena assustou aos presentes na Arena da Baixada. Um torcedor passou mal na torcida do Athletico-PR e a ambulância chegou a entrar em campo. Felizmente, a recuperação foi rápida após atendimento de paramédicos e o confronto voltou a seguir.

Minutos depois, o Athletico-PR chegou ao quarto gol. Em descida de Hugo Moura no contra-ataque, o meio-campista procurou o passe e não encontrou espaço. Do meio da rua, Hugo soltou o pé direito, contou com Cleiton um pouco adiantado e anotou um belíssimo gol para fazer 4 a 0.

O Red Bull Bragantino chegou a descontar na sequência com Luan Cândido, mas o gol foi anulado pelo auxiliar por impedimento. Na base do abafa, o Massa Bruta conseguiu descontar. Miguel achou Luan Cândido na área, o lateral bateu cruzado e Alerrandro, na pequena área, desviou para as redes.

No minuto seguinte, Miguel, que começou a jogada do primeiro gol, sofreu pênalti logo em seguida, colocando fogo na partida. Lucas Evangelista cobrou com categoria no canto esquerdo e deu uma sobrevida ao Red Bull Bragantino.

O Athletico-PR tentou esfriar o jogo após sofrer dois gols. Pedrinho ameaçou em chute de fora da área e Babi perdeu grande chance de matar a partida. A arbitragem anunciou sete minutos de acréscimos, tempo que não foi suficiente para o Massa Bruta manter a reação. Ao apito final, festa da torcida do Furacão, que vê a equipe ir ao G-4 do Brasileirão.