<
>

Atlético-MG anuncia contratação de Alan Kardec, que diz quem o convenceu a voltar ao futebol brasileiro

Centroavante é o mais novo reforço do Atlético-MG para a temporada 2022


O badalado elenco do Atlético-MG ganhou mais uma importante para o ataque. Nesta sexta-feira (24), a equipe mineira anunciou a contratação de Alan Kardec, centroavante de 33 anos e que estava sem clube desde meados de abril de 2022 quando deixou o Shenzhen FC, da China.

Em entrevista à TV Galo, Alan Kardec contou como foi o contato com Rodrigo Caetano, dirigente do Atlético-MG e com quem o centroavante havia trabalhado no passado no Vasco. O novo reforço disse que estava com a ‘chama acesa’ para retornar ao Brasil.

"Como se fosse uma convocação, né? O Rodrigo perguntou qual era a minha intenção, se tinha interesse em fazer parte do projeto. Graças a Deus tudo caminhando da maneira que esperávamos. Estou com muita vontade de trabalhar e ajudar os companheiros em um futuro bem próximo".

"Sensação única, de retornar ao Brasil, em uma oportunidade incrível, de voltar para o atual campeão brasileiro. Temos uma amizade desde que trabalhamos juntos no Vasco, e quando ele me ligou a chama ficou acesa. O desejo de poder defender o Galo se tornou real. Foi muito gratificante, me deixou muito feliz poder estar aqui hoje", disse Kardec.

No Brasil, Alan Kardec teve grandes passagens por clubes como Vasco, Santos, Palmeiras e São Paulo. O atacante estava desde 2016 no futebol chinês e vestiu a camisa de times como Chongqing Liangjiang e Shenzhen FC.

"Meu pai ficou radiante de alegria também. Sabemos o desafio e a oportunidade também, de retornar ao Brasil depois de tantos anos fora. Clube tem jogadores fantásticos e uma estrutura incrível para disputar todas as competições. É uma felicidade enorme que não tem como precisar".

O centroavante contou que não acompanhou muito de perto o que foi feito pelo Atlético-MG no período recente, mas destacou a forte presença da torcida no Mineirão e colocou isso como um diferencial para aceitar o novo desafio de retornar ao Brasil e vestir a camisa do Galo.

"Acompanhei, não tão de perto, por causa do fuso horário da China. Pude ver tudo que o Atlético tem conseguido nos últimos anos. Seremos cobrados por isso, mas sei que é uma torcida que enche o estádio, que apoia, incentiva. E por tudo isso que nos é oferecido, temos que entrar em campo sempre brigando pelas cabeças e por títulos, para colocar nosso nome na história do Galo", finalizou.