<
>

Por que casa do Botafogo, criticada por Textor, é chamada de 'salão de festas' pelo Fluminense

play
Luis Castro é sincero ao falar sobre gramado do CT do Botafogo: 'Bom para estacionar carros' (2:46)

Técnico analisou todos os pontos positivos e negativos da atual situação do clube (2:46)

Botafogo e Fluminense fazem clássico no Estádio Nilton Santos neste domingo pelo Brasileirão


O Botafogo recebe o Fluminense neste domingo, no Estádio Nilton Santos, em clássico pelo Brasileirão. E desta vez o mando de campo será exercido: a torcida alvinegra terá a maior parte dos ingressos, enquanto os visitantes ficarão com apenas um setor. A força de jogar em casa, no entanto, não tem sido tão especial como poderia – até mesmo na opinião de John Textor.

"Qualquer estádio com uma pista olímpica ao redor dele não é um estádio de futebol”, disparou o dono da SAF alvinegra na última quinta-feira em entrevista ao SporTV.

“No Crystal Palace, o estádio é pequeno, mas os torcedores estão uns em cima dos outros. A energia ajuda os jogadores, ajuda a experiência do entretenimento. Isso não dá para atingir no Nilton Santos, o custo seria muito alto”, opinou o empresário americano, que também é acionista na equipe de Premier League.

O estádio, de fato, não tem sido temido pelos rivais do Botafogo. Pelo contrário! A última vez que a equipe da Estrela Solitária venceu o ‘Clássico Vovô’ no Engenhão foi em 2018, há quatro anos, quando triunfou por 2 a 1 pelo Brasileirão com gols de Rodrigo Lindoso e Kieza – Pedro descontou.

Desde então, foram cinco partidas, com três vitórias do Fluminense e dois empates.

O restrospecto geral no estádio é mais equilibrado, mas também favorece o lado tricolor: são 11 empates, 8 vitórias do Flu e 6 triunfos do Botafogo.

A fama do Nilton Santos, inclusive, é alvo de piada para os rivais. Muitos chamam o estádio de “Salão de Festas”, pois é onde se comemora quando não se está em casa.

O Fluminense, em especial, guarda boas lembranças de lá. A era de ouro do clube neste século foi vivida entre 2010 e 2012, período em que o Maracanã estava fechado para obras, visando à Copa do Mundo de 2014. O time das Laranjeiras levantou dois troféus no Engenhão, o Brasileirão de 2010 e o Carioca de 2012, ao passo que também mandou seus jogos no campeonato nacional de 2012 no Engenhão – o título veio fora de casa.

O Botafogo, por sua vez, foi campeão tendo o Engenhão como casa nos momentos decisivos em três oportunidades, mas sempre levantando a taça em outro lugar. A Série B 2015 foi em Brasília, a de 2021, em Pelotas, e o Carioca de 2018, no Maracanã.