<
>

Seleção brasileira: como está a briga pela vaga mais concorrida da lista de Tite para a Copa do Mundo

Seleção brasileira abre campanha na Copa do Mundo daqui exatos cinco meses, em 24 de novembro, contra a Sérvia, no Qatar


Danilo chegou extremamente tímido. Destaque do Palmeiras, o meio-campista foi a surpresa na lista de convocados do técnico Tite para os amistosos do Brasil contra Coreia do Sul e Japão, no início de junho. O jovem de 21 anos desembarcou na Ásia com esperanças de vestir a camisa principal da seleção brasileira pela primeira vez, mas acabou cortado na goleada por 5 a 1 sobre os sul-coreanos e apenas assistiu no banco de reservas ao 1 a 0 brasileiro sobre os japoneses. Mesmo assim, agradou a comissão técnica pela postura nos treinamentos, conforme apurou a ESPN.

A cinco meses do início da Copa do Mundo, a lista habitual de 23 convocados mudou para 26 de maneira oficial pela Fifa. Internamente, Tite e seus auxiliares já trabalham com esse número há alguns meses. A lista continua aberta a novas surpresas, como a recuperação de um atleta ou mesmo o surgimento de uma nova promessa – Ronaldo Fenômeno estreou pelo Cruzeiro em maio de 1993, chamou atenção nacional em novembro com os cinco gols marcados contra o Bahia, estreou pela seleção em março de 1994 e poucos meses depois estava nos Estados Unidos com Carlos Alberto Parreira. Danilo briga por uma das três vagas extras, mas no setor onde essa disputa é a mais acirrada.

O meio-campo do Brasil, se nenhum problema acontecer, terá Casemiro (Real Madrid), Fabinho (Liverpool), Fred (Manchester United), Bruno Guimarães (Newcastle), Lucas Paquetá (Lyon) e Philippe Coutinho (Aston Villa) entre os convocados. A programação atual da seleção contempla a convocação de mais um jogador para o setor, considerando a lista de 26, e dois a mais para o ataque. Não está descartada a possibilidade de mudança nessa ideia. A explicação passa, justamente, por algum problema que possa surgir. Exemplo: um lateral-esquerdo que tenha uma lesão a poucas semanas do Mundial, mas que esteja dentro do prazo de recuperação para disputar a terceira partida, poderia render a chamada de um terceiro lateral para compor o grupo.

De qualquer modo, se a programação normal não for alterada, Danilo, Gerson (Olympique de Marselha), Douglas Luiz (Aston Villa), Arthur (Juventus) e Edenílson (Internacional) disputam o lugar a mais no avião para o Catar entre os meio-campistas. Cada um com características próprias, que pesarão na escolha final de Tite.

Cinco para uma vaga

A comissão técnica da seleção é bastante criticada por convocar jogadores e não dar, muitas vezes, minutos a eles nos jogos, priorizando a hierarquia entre os convocados. No entanto, considera e valoriza todo o tempo que o atleta passa na equipe e entende ser extremamente importante conhecê-lo além do campo.

Em relação especificamente a Danilo, há pouco tempo para o palmeirense conhecer e se adaptar aos processos, mas a impressão positiva deixada por ele nos jogos sob o comando de Abel Ferreira foi repetida nos treinamentos na Ásia com boa dinâmica de jogo, passes verticais, concentração fortíssima na marcação e qualidade para finalizar com os dois pés. Além disso, sua postura também agradou muito, mesmo com a timidez apresentada diante de companheiros como Casemiro, Fabinho e Fred.

Danilo é visto por Tite como um jogador com capacidade de fazer as duas primeiras funções de meio-campo em seu desenho tático, o que lhe garante vantagem na disputa pela vaga extra. Quem também possui essa avaliação tática é Douglas Luiz, que a favor tem a Premier League como diferencial de competitividade, além de maior experiência como jogador profissional e também na seleção brasileira. Ambos, na avaliação da comissão técnica, ainda precisam definir a posição: conseguem atuar como volante em meio-campo com três e também como segundo em formação com dois, para citar alguns exemplos.

Gerson perdeu espaço, mas jamais esteve fora da disputa. Com Jorge Sampaoli na França, o ex-jogador do Flamengo passou a atuar em função bem diferente daquela que desempenhava no Brasil. Na fase ofensiva se tornou um meia aberto pela esquerda, usando muito o corredor no setor e flutuando por dentro para armar; sem a bola, a variação foi ainda maior, tendo a obrigação em algumas partidas de fechar até mesmo uma linha de cinco defensores.

Arthur depende da definição de seu futuro, já que não está totalmente confinado nos planos de Massimiliano Allegri na Juventus para a próxima temporada.

Já Edenílson agrada a Tite há muitos anos, tanto é que o treinador foi o primeiro a lhe levar para a seleção, no ano passado, já com 31 anos. Eles trabalharam juntos no Corinthians entre 2011 e 2013 e conquistaram o Brasileirão (2011), a Conmebol Libertadores (2012), o Mundial de Clubes (2012), o Campeonato Paulista (2013) e a Recopa Sul-Americana (2013).

Decisões finais

Característica, posição, função. Nas coletivas de imprensa, essas três palavras são sempre citadas muito por Tite porque fazem parte do vocabulário diário de trabalho da comissão técnica. Pesarão bastante nas decisões que serão feitas para fechar a lista de 26 convocados.

Há apenas mais uma Data Fifa, em setembro, antes da convocação, e o imbróglio causado pelo jogo suspenso com a Argentina permanece. Há, neste momento, obrigação de realização da partida, mesmo contra a vontade de CBF e AFA, e além disso haverá mais um amistoso a ser disputado - boas chances de ser contra Marrocos.

Fora a vaga extra no meio-campo, ainda há posições com definições necessárias. O quarto zagueiro da lista permanece desconhecido, com Gabriel Magalhães (Arsenal) à frente na teoria, mas com a recuperação física de Lucas Veríssimo (Benfica), que sofreu lesão ligamentar de joelho, em vista. A lateral direita, que parecia bem definida com Danilo (Juventus) e Daniel Alves, agora depende da situação de Daniel após a saída do Barcelona; Emerson Royal (Tottenham) observa com atenção. Na lateral esquerda a disputa é pública: Alex Sandro (Juventus) em vantagem, Alex Telles (Manchester United) e Guilherme Arana (Atlético-MG) na sequência e Renan Lodi (Atlético de Madrid) correndo por fora.

O ataque ficará, dentro da programação normal já citada, com duas vagas extras, que diminuíram o "problema" para Tite. Neymar (PSG), Vinicius Jr. (Real Madrid), Raphinha (Leeds United), Antony (Ajax), Richarlison (Everton) e Gabriel Jesus (Manchester City) estão bem encaminhados, com Rodrygo (Real Madrid) e Matheus Cunha (Atlético de Madrid) fechando a lista.

Martinelli (Arsenal) segue com chances, assim como outros nomes que já estiveram bem cotados e agora não vivem bom momento (Gabigol, por exemplo). Lembrando que a janela de transferências está agitada entre os atacantes brasileiros, pois Raphinha, Antony, Gabriel Jesus e Richarlison podem mudar de time.

De qualquer modo, a maior possibilidade de surpresa na lista final de convocados, por enquanto, está na vaga extra de meio-campo. Além dos dois jogos previstos na Data Fifa, as observações nos estádios continuarão. O momento espetacular do Palmeiras colabora com Danilo, principal candidato a surpresa entre os escolhidos de Tite. A seleção se apresentará, provavelmente em Turim, para início dos treinos para a Copa do Mundo em 14 de novembro.