<
>

De Claudinho a Yuri Alberto: veja jogadores que estão na Rússia e poderiam reforçar seu time

Fifa decidiu que os jogadores e treinadores que tem vínculo com equipes da Ucrânia e Rússia podem suspender seus contratos de trabalho até 30 de junho de 2023


A Fifa comunicou nesta terça-feira (21) uma mudança em relação as regras de ‘transferências temporárias’ em relação aos jogadores e treinadores da Ucrânia e Rússia. De acordo com comunicado, os profissionais que possuírem contrato com as equipes destes dois países podem suspender seus contratos até 30 de junho do 2023.

Com isso, uma lista de jogadores brasileiros poderá voltar ao país com contrato de um ano. Entre esses nomes, estão: Douglas Santos, Wendel, Malcom, Claudinho e Yuri Alberto, do Zenit, Kaio, do Krasnodar, Bruno Fuchs, do CSKA Moscou, Fernando Costanza, do Krylya Sovetov, Rodrigão, do Sochi, e Lucas Fasson, do Lokomotiv Moscou.

Destes nomes, a dupla Malcom e Claudinho, porém, irá cumprir o seu contrato com o Zenit, segundo confirmado pelos seus agentes ao jornalista Fábio Aleixo.

Outros nomes que poderiam interessar a clubes brasileiros- são dos paraguaios Fabián Balbuena e Jesús Medina, dos uruguaios Guillermo Varela e Laxalt, do equatoriano Cristian Ramírez, do colombiano Jorge Carrascal e do argentino Adolfo Gaich.

A decisão da entidade máxima do futebol anunciado neste momento mantém o que foi decidido no início do conflito entre os dois países, em março de 2022. Com o prolongamento da situação na Europa, a FIFA segue com as condições temporárias por mais duas janelas de transferências.

Além disso, a entidade também esclareceu que os jogadores menores de idade que deixarem a Ucrânia e a Rússia com a família por conta da guerra serão isentados da regra que proíbe transferências internacionais para atletas menores de 18 anos.