<
>

Presidente do São Paulo diz que Libra depende de maturidade de dirigentes: 'Senão vira liga de botequim'

Julio Casares está à frente da tentativa de criação de liga no futebol brasileiro


Em entrevista ao programa "Grande Círculo", do SporTV, o presidente do São Paulo, Julio Casares, falou sobre a tentativa da criação da Libra, uma liga no futebol brasileiro. Casares é um dos membros fundadores da iniciativa, que já tem adesão de 13 clubes: Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Guarani, Ituano, Novorizontino, Palmeiras, Ponte Preta, Santos, São Paulo, Red Bull Bragantino e Vasco.

Diversos clubes da Série A e Série B ainda não aderiram à liga, principalmente questionando o movimento, pedindo uma divisão de receitas mais igualitária que a atual, citando exemplos de Premier League e Bundesliga.

"Para mim, tenho convicção que é a maior oportunidade que o futebol brasileiro tem. Vai depender da maturidade dos dirigentes, do equilíbrio e, entre aspas, achar que você vai perder um pouquinho, mas você vai ganhar o bolo no futuro. Tirar essa vaidade, discutir o bolo porque vai ter dinheiro para todo mundo, vai ter investidor", disse Casares.

"Tenho convicção e por isso demos um passo muito incisivo e está crescendo a adesão dos clubes... No sentido de o futebol ter oportunidade. A CBF vai homologar. Ela vai cuidar da seleção brasileira, dos tribunais, arbitragem, da governança, do futebol em termos internacionais... Mas o Campeonato Brasileiro tem que ser feito pelos clubes ouvindo os patrocinadores, os veículos que patrocinam, que são os maiores patrocinadores do futebol brasileiro. Tem discutir esses temas, senão vira a liga do botequim: todo mundo discute, mas na hora de sentar não", completou,