<
>

Presidente do Barcelona vê Neymar 'refém do dinheiro' no PSG e revela condição para brasileiro e Messi voltarem ao clube

Em entrevista ao jornal L'Esportiu, Joan Laporta garantiu que Neymar e Messi só retornam ao Barcelona em negociações sem custos: 'A única maneira de voltar é de graça'


Joan Laporta, presidente do Barcelona, garantiu nesta quarta-feira (25) que a única maneira de Lionel Messi e Neymar retornarem ao clube é de graça. O dirigente catalão disse que 'não faria sentido' desembolsar valores milionários ao Paris Saint-Germain por jogadores que já jogaram pelo clube.

“Quem não gosta do Neymar?”, Laporta disse ao jornal L'Esportiu, ao ser perguntado sobre se é fã do atacante após relatos de que o brasileiro poderia voltar à Catalunha. “É um jogador excepcional, mas tem [três] anos de contrato com o PSG. Ele está efetivamente refém do dinheiro”.

“A única maneira de voltar é de graça. Seria irracional pagar uma taxa de transferência para um jogador que você já teve. Leo saiu como saiu. Todos gostaríamos que ele terminasse sua carreira aqui, mas por causa das regras de fair play [da LaLiga] e por causa da oferta do PSG, não foi assim”.

“Se quiser voltar um dia, teria que ser de graça. E a equipe técnica teria que decidir se ele se encaixa no novo projeto ou não”.

Neymar assinou um novo contrato com o PSG no ano passado, mas seu futuro no clube está sob reavaliação após a decisão de Kylian Mbappé de renovar com os franceses até 2025.

A ESPN nesta semana informou que Mbappé gostaria de um elenco mais equilibrado do que o que existe agora devido à falta de sucesso na Europa, enquanto os donos do clube francês não estão satisfeitos com as atuações e o estilo de vida do craque brasileiro.

Neymar está no PSG desde 2017, quando parisienses pagaram aquela que ainda é a maior taxa de transferência na história do futebol (222 milhões de euros), executando sua cláusula de rescisão com o Barcelona.

Messi, que completará 35 anos em junho, ainda terá mais uma temporada pela frente em seu contrato com o PSG. Fontes disseram à ESPN que qualquer decisão sobre seu futuro virá apenas após a Copa do Mundo.

Enquanto isso, fontes disseram que o Barcelona está monitorando outros alvos para o ataque, com o técnico Xavi Hernandez confirmando recentemente interesse em Robert Lewandowski, atacante do Bayern de Munique.

O clube catalão também está interessado em contratar um ala dada a possibilidade de perder Ousmane Dembélé, que tem contrato apenas até 30 de junho e ainda não assinou um acordo maior com o clube.

Raphinha, do Leeds United, é uma opção. Mas a transferência dele neste momento ficou mais complicada pela permanência do clube na Premier League. Se tivessem sido rebaixados, uma cláusula de liberação de 25 milhões de euros teria sido aplicada.

No entanto, qualquer contratação dependerá primeiro de o Barcelona conseguir dinheiro para abrir espaço dentro do limite de gastos imposto pela LaLiga.

“Não temos nenhum apoio da liga”, disse Laporta. “As regras do fair play são muito restritivas e exigentes em comparação com outros países, é uma desvantagem. Respeitamos as regras, mas sentimos que são muito rígidas em comparação com outros países. Estamos conversando com a LaLiga sobre isso, mas eles não parecem se afastar de sua posição”.

“Há operações em que estamos trabalhando para melhorar nossas contas, mas a LaLiga, em vez de ajudar, tenta nos prejudicar. Realmente me surpreende”.