<
>

Flamengo é único fora da Europa em ranking com Real, Liverpool e City sobre as marcas mais valiosas do futebol; veja lista

Estudo realizado pela consultoria internacional Brand Finance coloca o Flamengo como único clube fora da Europa a integrar a lista das 50 marcas mais valiosas do futebol mundial


A retomada financeira desenvolvida na última década segue rendendo resultados ao Flamengo não apenas dentro do Brasil, mas também fora. Segundo relatório anual elaborado pela consultoria internacional de marcas Brand Finance, o Rubro-Negro é o único brasileiro a integrar a lista das 50 marcas mais valiosas do futebol mundial.

Único clube fora da Europa na relação, o time da Gávea ocupa a 49ª posição no ranking, logo à frente da Fiorentina, que fecha a lista.

O estudo da Brand Finance coloca o Flamengo com o valor de marca estimado em 96 milhões de euros (R$ 493 milhões), superando por pouco a equipe italiana: 95 milhões de euros (R$ 488 milhões).

A liderança do ranking segue sendo do Real Madrid, que se mantém como marca mais valiosa do futebol pelo quarto ano seguido, aumentando seu valor estimado em 19% e chegando a nada menos do que 1,5 bilhão de euros (R$ 7,7 bilhões).

O time espanhol é seguido de perto por outros quatro gigantes europeus que dividem a segunda posição: Manchester City, Barcelona, Liverpool e Manchester United, com as marcas avaliadas em 1,3 bilhão de euros (R$ 6,6 bilhões).

Veja abaixo a lista das dez marcas mais valiosas do futebol mundial segundo a Brand Finance:

  1. Real Madrid: 1,5 bilhão de euros (R$ 7,7 bilhões)

  2. Manchester City: 1,3 bilhão de euros (R$ 6,6 bilhões)

  3. Barcelona: 1,3 bilhão de euros (R$ 6,6 bilhões)

  4. Liverpool: 1,3 bilhão de euros (R$ 6,6 bilhões)

  5. Manchester United: 1,3 bilhão de euros (R$ 6,6 bilhões)

  6. Bayern de Munique: 1,1 bilhão de euros (R$ 5,6 bilhões)

  7. Paris Saint-Germain: 1,0 bilhão de euros (R$ 5,1 bilhões)

  8. Tottenham: 873 milhões de euros (R$ 4,4 bilhões)

  9. Chelsea: 855 milhões de euros (R$ 4,3 bilhões)

  10. Arsenal: 793 milhões de euros (R$ 4 bilhões)