<
>

Jornal fala em Militão nervoso e abre debate sobre dupla de zaga do Real Madrid para final da Champions contra o Liverpool

Segundo o jornal AS, queda de rendimento do brasileiro e boas atuações de Nacho abrem debate sobre a titularidade na final da Champions League


A imagem de Éder Militão no Real Madrid pode ter mudado por conta das atuações nos últimos jogos na visão do jornal AS, da Espanha. De acordo com a publicação, a instabilidade do defensor brasileiro nas partidas do último mês, voltando a demonstrar nervosismo e errando em momentos decisivos, chamou atenção negativamente. Além disso, o desempenho de Nacho nos últimos jogos fazem com que o brasileiro não seja mais uma unanimidade dias antes da decisão da Champions League.

Segundo o jornalista Mario de la Riva, que assina a matéria do jornal AS, as boas atuações de Militão e Alaba durante a maior parte da atual temporada fizeram com que a torcida não sentisse saudades de Sergio Ramos e Varane, que formaram uma das melhores duplas de zaga da equipe da capital espanhola e ajudaram a recolocar a equipe no topo do futebol europeu.

Contudo, por conta de alguns erros e demonstrações de insegurança de Militão nas últimas partidas, não é garantido que o brasileiro estará ao lado de Alaba na decisão da Champions League contra o Liverpool. Segundo o jornal, erros de Éder Militão contra Sevilla, Osasuna, em partidas por La Liga, além de atuações inseguras contra o Manchester City, pela Champions League, e Atlético de Madrid e Cádiz, novamente pelo espanhol, não garantem a presença do defensor da seleção brasileira na final em Paris.

De acordo com números individuais divulgados pelo AS, Militão caiu de rendimento na parte defensiva e na construção de jogo, ponto que vinha sendo o diferencial do brasileiro no começo da temporada.

Aliado ao mau momento vivido pelo brasileiro, o experiente Nacho, de 32 anos, vem entrando bem nas últimas partidas. Além disso, podendo atuar em todas as posições da defesa do Real Madrid, o defensor espanhol dá para Ancelotti a possibilidade de uma maior variação tática, segundo o jornal.