<
>

'Jesus Day' chega com Flamengo em crise, Paulo Sousa e Diego Alves irritados com polêmica e diretoria em silêncio

play
Flamengo: Gian Oddi critica falta de comunicação no 'climão' entre Paulo Sousa e Diego Alves após postagem do goleiro (2:32)

Arqueiro rubro-negro colocou nas redes sociais a imagem de Adriano Imperado com a camiseta 'Que Deus perdoem essas pessoas ruins' (2:32)

No dia em que se completa o prazo dado por Jorge Jesus, Flamengo tem nova crise por conta de relacionamento entre Paulo Sousa e Diego Alves


Dia 20 de maio. Até então, uma data normal no calendário do Flamengo. Com exceção do atual ano, marcado pelo famoso 'Jesus Day', prazo revelado pelo jornalista Renato Maurício Prado que Jorge Jesus esperaria pelo Rubro-Negro.

Desde o dia 4 de maio, data do encontro do jornalista com Mister, até o a data desta sexta-feira (20), o Flamengo viu o Ninho do Urubu virar um turbilhão de emoções. Crise profunda no departamento médico, pressão da torcida e situação acalorada com o atrito entre Paulo Sousa e Diego Alves.

Se alguns retornos tiraram um pouco da cobrança recebida pelo DM, por outro lado, nem as classificações na Copa do Brasil e Conmebol Libertadores fizeram Paulo Sousa ter paz. Ao apostar em Hugo, comprou uma briga com a torcida, já que o camisa 45 foi vaiado durante todo o jogo contra a Católica. Mas o ápice da crise veio na coletiva pós-jogo com a situação de Diego Alves.

Se Paulo Sousa justificou a ausência de Diego Alves por situação médica, citando processos que seus atletas não jogam sem treinar, em virtude de um encontro do goleiro com Bruno Spindel onde o camisa 1 teria dito que teria condição se jogo, Diego negou tal versão e disse ter apresentado para o cartola exatamente o oposto. Crise agravada.

Na última quinta-feira (19), uma reunião no Ninho do Urubu foi convocada pela diretoria para que todos ficassem frente a frente para um esclarecimento do caso. A reportagem apurou que Diego Alves estava revoltado com o cenário e classificou toda a história a amigos próximos com a seguinte palavra: 'Vergonha'.

O papo, segundo o site ge, contou com a presença do departamento de futebol, do médico Márcio Tannure e dos jogadores Diego Ribas, Everton Ribeiro, David Luiz, Willian Arão e Rodrigo Caio, além de Paulo Sousa. O goleiro queria a presença de testemunhas para evitar mais ruídos sobre suas palavras ditas. Um claro sinal que a liderança do elenco estava fechada com o goleiro.

Por outro lado, a reportagem apurou que Paulo Sousa ficou muito chateado com o ocorrido. Ele se manifestou publicamente após toda a polêmica e não escondeu a irritação. Negou a declaração do repórter Eric Faria, da TV Globo, que disse que a pergunta que causou toda a confusão teria sido encomendada pelo treinador, descartou qualquer encontro com jornalistas e escreveu a seguinte nota.

O técnico do Flamengo, Paulo Sousa, diante dos fatos expostos pelo repórter Eric Faria, da TV Globo, no programa Seleção SporTV de hoje (19/05), gostaria de esclarecer os seguintes pontos:

Nunca teve nenhuma conversa pessoal com nenhum jornalista, seja através de aplicativos de mensagens ou ligação, apesar de receber vários pedidos diretos de profissionais dos mais diferentes veículos. Paulo Sousa nega com veemência a informação passada por Eric Faria de que teria “encomendado” algum tipo de pergunta a um repórter. O técnico lamenta que um profissional de um dos principais veículos de comunicação do país tenha, de modo leviano, sem ouvir todas as partes envolvidas, feito esse tipo de acusação. E não descarta a possibilidade de buscar o caminho da justiça caso não haja retratação pública.

O Flamengo não se manifestou publicamente até o momento. A reportagem procurou os cartolas que comandam o futebol rubro-negra, mas não obteve retorno. O vice de futebol Marcos Braz e o diretor Bruno Spindel vão falar após a partida contra o Goiás, neste sábado (21), às 16h30.

Entenda toda a polêmica

Tudo começou quando o treinador rubro-negro afirmou em entrevista coletiva após a partida contra a Universidad Católica que não relacionou Diego Alves, pois o camisa 1 ainda sentia dores no púbis.

"Após o jogo contra o Botafogo, no dia seguinte, sentiu dores no púbis. O departamento médico fez ressonância médica e temos que confiar no jogador. Temos o exame para analisar, mas ouvir o que o jogador sente. Ele sentia muitas dores. Um colaborador meu fala com todos os jogadores, para ter sensações, nível de dor, se dormiu bem, dormiu mal, ir ajustando. Nesse dia de manhã, continuava a ter dores. À tarde, nosso fisioterapeuta disse que o Diego estava melhorzinho, ontem (véspera do jogo)'', disse o português.

play
2:32

Flamengo: Gian Oddi critica falta de comunicação no 'climão' entre Paulo Sousa e Diego Alves após postagem do goleiro

Arqueiro rubro-negro colocou nas redes sociais a imagem de Adriano Imperado com a camiseta 'Que Deus perdoem essas pessoas ruins'

De acordo com Paulo Sousa, como o goleiro não treinou, não podia estar entre os relacionados para o jogo.

''Normalmente o tempo que leva a recuperação não pode ser do dia para a noite ou por uma reunião que teve com Bruno Spindel na hora do almoço e que rapidamente se recuperou e estaria disponível para jogar. Os processos não são assim, os jogadores para jogar têm que treinar, (ele) não treinou desde o jogo contra o Botafogo. Se não treinou, por isso, não poderia estar relacionado", explicou Paulo.

No entanto, na conversa citada pelo treinador entre Bruno Spindel, diretor executivo de futebol, e Diego Alves, o goleiro teria falado que já estava recuperado e que teria condições de jogo.

De acordo com apuração da reportagem, Diego Alves teria falado o oposto para Bruno Spindel, dizendo que não teria condições de atuar diante da Católica por conta de uma dor.