<
>

Jorge, do Palmeiras, vai à polícia e faz boletim de ocorrência após ter carro atacado e danificado nas proximidades da Academia

Agressão contra Jorge ocorreu na manhã desta terça-feira (17), na saída do centro de treinamento do Palmeiras


Após sofrer agressões verbais e ter seu carro atacado nesta terça-feira (17), nas proximidades da Academia de Futebol, o lateral-esquerdo Jorge, do Palmeiras, tomou providências.

Segundo apurou o ESPN.com.br, o atleta foi à polícia e fez um boletim de ocorrência para registrar o fato.

De acordo com comunicado emitido mais cedo pelo Verdão, o vidro do automóvel do atleta ficou danificado, mas o jogador não se feriu durante o ataque.

Em nota, a equipe paulista repudiou a violência e prometeu tomar as medidas jurídicas e criminais.

"A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia veementemente este ataque covarde contra o nosso atleta e tomará todas as providências jurídicas e criminais para que os infratores sejam identificados e punidos com o rigor da lei", escreveu o clube.

"Sabemos que este ato não representa a torcida palmeirense. É inadmissível, contudo, que casos de agressão tenham se tornado rotina no futebol brasileiro nos últimos tempos. A violência não pode ser normalizada; ao contrário, precisa ser combatida com a união de todos os envolvidos no ambiente esportivo", seguiu.

"Somos uma família: a Família Palmeiras! Quando um dos nossos é agredido, todos também somos!", finalizou.

Leia a nota oficial do Palmeiras

O lateral-esquerdo Jorge foi vítima, na manhã desta terça-feira (17), de um inaceitável episódio de violência praticado por dois indivíduos nas cercanias da Academia de Futebol. O jogador teve o vidro do carro danificado e sofreu ameaças verbais.

A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia veementemente este ataque covarde contra o nosso atleta e tomará todas as providências jurídicas e criminais para que os infratores sejam identificados e punidos com o rigor da lei.

Sabemos que este ato não representa a torcida palmeirense. É inadmissível, contudo, que casos de agressão tenham se tornado rotina no futebol brasileiro nos últimos tempos.

A violência não pode ser normalizada; ao contrário, precisa ser combatida com a união de todos os envolvidos no ambiente esportivo.

Somos uma família: a Família Palmeiras! Quando um dos nossos é agredido, todos também somos!

Leila Pereira