<
>

Botafogo assina acordo com Libra e se junta a outros nove clubes; veja quem já está dentro de liga independente

play
Rafael Moura elogia ex-companheiro de Botafogo: 'Ele tem a cara da Libertadores' (1:06)

Rafael Moura e Edu Jr. são os convidados do Resenha ESPN (1:06)

John Textor conversou com representantes da liga independente, que já conta com sete clubes da Série A e três da Série B


Nesta sexta-feira (13), o Botafogo se tornou o décimo clube a se afiliar à Libra (Liga do Futebol Brasileiro), sendo o terceiro carioca, além de Flamengo e Vasco.

As outras equipes associadas são: Red Bull Bragantino, Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo, Cruzeiro e Ponte Preta.

Dono de 90% da SAF Alvinegra, John Textor esteve em São Paulo na última quinta-feira (12) para conversar com representantes da organização e, nesta sexta, optou pela adesão do clube alvinegro à Libra.

"O Botafogo tem a honra de se juntar aos principais clubes do futebol brasileiro. Traçamos um caminho para posicionar a LIBRA entre as principais e mais competitivas ligas do mundo", destacou Textor, que completou.

"Fiquei impressionado com a recepção calorosa que recebemos de um grupo com grandes dirigentes do esporte nacional. Também fiquei surpreso com a mente aberta do grupo e suas novas ideias. Ficou óbvio que teríamos grande sucesso juntos em levar o futebol brasileiro de volta ao seu lugar de direito no mundo. Podemos lutar uns contra os outros em campo, mas seremos imbatíveis enquanto parceiros na construção de uma Liga para deixar os brasileiros orgulhosos", finalizou Textor.

Diversas equipes das Séries A e B, porém, ainda não assinaram os documentos, já que desejam discutir melhor as propostas da Liga.

As principais divergências, como de hábito, são na divisão dos direitos de transmissão de TV.

A vontade dos clubes que ainda não entraram na Libra é que o "bolo" seja dividido da seguinte forma: 50% igualitário, 25% por performance e 25% comercial, com parâmetros objetivos e mensurávei.

Além disso, eles querem diferença de receita menor entre os clubes que recebem mais e os que recebem menos. O alvo limite será de 1,6x - em referência à Premier League -, mas começaria com o teto de 3,5x no primeiro ano.

Por fim, desejam ainda o compromisso de que a Série B receba 20% dos recursos de venda de direitos de transmissão.