<
>

Milan busca sair da fila de 10 anos em meio a mais uma mudança de dono, agora para fundo do Oriente Médio

Prestes a ser vendido novamente, Milan pode ser campeão italiano pela primeira vez desde 2011 neste fim de semana a depender de uma combinação de resultados


O Milan pode conquistar o Campeonato Italiano neste fim de semana. Para isso, basta vencer a Atalanta no San Siro neste domingo (15), às 13h (de Brasília), e torcer para que a Inter de Milão não vença o Cagliari fora de casa mais tarde, às 15h45. Ambos os jogos terão transmissão ao vivo pela ESPN no Star+.

Caso conquiste o scudetto, o Milan vai encerrar uma longa seca na Serie A. O clube de Milão é o terceiro maior campeão, com 18 títulos, porém o último foi na temporada 2010/11. Desde então, a torcida precisou se contentar com um título de Supercopa da Itália em 2016 e nada mais.

De quebra, com um 19º título italiano, o Milan empataria com a rival Internazionale em número de conquistas. As equipes de Milão voltariam a dividir a vice-liderança, ficando atrás apenas da Juventus, que tem 36 títulos e é a maior campeã nacional com sobras.

Além disso, o eventual scudetto seria uma injeção de ânimo no Milan em meio a mais uma mudança de dono – a terceira desde o último título italiano, conquistado sob comando do ex-primeiro ministro da Itália, Silvio Berlusconi.

Berlusconi foi dono do Milan entre 1986 e 2017, quando vendeu o clube para investidores chineses liderados por Li Yonghong. Porém, um ano depois, o grupo não pagou um empréstimo realizado com o fundo Elliott Management Corporate, que assumiu o comando rossonero em 2018 por conta da dívida.

Já nas últimas semanas, o Milan ficou perto de ser novamente comprado. Desta vez, o novo dono será o fundo Investcorp, do Bahrein, que negocia para adquirir o clube por 1,18 bilhão de euros (R$ 6,2 bilhões na cotação atual), segundo a agência Reuters.