<
>

'Barca' com 12, Mbappé, Pochettino e óbvias chegadas: PSG promete mercado agitado para reformular elenco que não deu liga

Reportagem da ESPN com apuração de bastidores detalha a situação delicada atravessada pelo clube diante da próxima janela de transferências na Europa


Talvez este seja o tipo de janela europeia que o Paris Saint-Germain realmente precise. Depois de uma temporada decepcionante em que conquistou o título do Campeonato Francês, ainda que com períodos de pouco futebol, mas desmoronou diante do Real Madrid pelas oitavas da Champions e foi eliminado em casa pelo Nice na Copa da França, o time parisiense está agora diante de uma encruzilhada desconfortável.

Algumas coisas precisam mudar.

A Qatar Sport Investment comprou o clube há 11 anos e conquistou muito desde que assumiu: troféus (oito dos últimos dez títulos da liga, seis Copas da França e seis Copas da Liga), muitos grandes jogadores (Neymar, Kylian Mbappé, Angel Di Maria, Lionel Messi), a incrível ascensão da marca PSG e muito mais.

Mas há também muitas decepções: os insucessos na Champions League (duas semifinais em dez temporadas), a constante rotatividade de técnicos (Laurent Blanc, Unai Emery, Thomas Tuchel) e a difícil relação entre o clube e seus torcedores.

Agora parece um bom momento para os responsáveis tomarem decisões importantes para o clube assumir um caminho mais consistente e positivo.

Pode ser uma transição automática se Mbappé decidir sair rumo ao Real Madrid. O PSG ainda está otimista de que pode manter o prodígio um pouco mais, mas certamente sabe que pode perdê-lo também. Seu contrato termina no final de junho e, embora tenha conversas positivas com dirigentes, não passou despercebido que estava em Madri nos últimos dias acompanhado de Achraf Hakimi, Keylor Navas e Sergio Ramos, todos ex-jogadores merengues.

Se Mbappé ficar, ótimo: será a peça central em torno da qual se reconstruirão. Se sair, no entanto, precisarão de outra contratação de destaque, alguém para liderar a próxima fase do projeto, algo que nem Lionel Messi ou Neymar podem realmente fazer ao se aproximarem do fim de suas carreiras.

Erling Haaland não é mais uma opção após se acertar com o Manchester City, e fontes dizem à ESPN que Robert Lewandowski (que quer deixar o Bayern de Munique) e Mohamed Salah (cujas negociações para um novo contrato com o Liverpool não estão avançando) estariam no radar do Paris Saint-Germain se Mbappé deixar o Parque dos Príncipes.

É claro que Lionel Messi e Neymar vão ficar. O craque argentino precisou de tempo para se adaptar a uma nova vida, um novo clube, um novo futebol e um papel diferente (sendo mais criador e menos artilheiro), mas as expectativas do clube são de que sua segunda temporada seja melhor que a primeira.

Para o brasileiro a história é diferente. Está terminando bem a temporada, com oito gols em seus últimos oito jogos, mas tem ficou a imagem da decepção na maior parte da campanha. O Paris Saint-Germain provavelmente ouviria ofertas por ele, mas elas não são tão prováveis.

Sergio Ramos também continuará no plantel na próxima temporada. Enquanto isso, a compra de Nuno Mendes (60 milhões de euros, cerca de R$ 320 milhões) foi acionada e ele completará sua transferência definitiva.

Marco Verratti também não irá a lugar nenhum. Fontes indicaram à ESPN que o lateral-direito Achraf Hakimi está feliz em Paris e não quer sair. Georginio Wijnaldum deve ter outra chance na próxima temporada, apesar de algumas frustrações sobre seu pouco protagonismo desde que chegou à França.

Em termos de novas contratações para renovar o elenco e torná-lo competitivo na Europa, o PSG tem alguns objetivos em mente.

Aurelien Tchouameni é o candidato perfeito para renovar seu meio-campo, mas eles não estão na pole position para contratar a joia do Mônaco, que custaria cerca de 60 milhões (R$ 320 milhões).

Paul Pogba, que estará livre no mercado quando seu contrato com o Manchester United, neste mês de junho, se torna uma opção mais provável após fontes confirmarem à ESPN que as negociações estão progredindo bem. A estrela francesa está interessada em voltar para Paris, onde cresceu.

O PSG já teve muitas conversas com o agente de Ousmane Dembele sobre a possível chegada do atacante do Barcelona, que também ficará sem contrato no verão europeu.

Arnaut Danjuma é outro nome de interesse. O atacante holandês impressionou no Villarreal e tem a idade certa (25), com perfil certo, para reforçar a equipe, principalmente se Mbappé e/ou Mauro Icardi mudarem de clube.

O PSG também precisa de profundidade na lateral-direita e Nordi Mukiele, que ficará sem contrato no RB Leipzig, é um dos alvos, segundo fontes disseram à ESPN. Ele é nascido e criado em Paris e sempre sonhou em jogar pelo clube.

A questão mais importante da próxima janela, no entanto, envolverá os jogadores de saída. Diretor esportivo do PSG, Leonardo não é tão bom em dispensar atletas quanto em contratar, e como circulam rumores sobre sua própria demissão antes mesmo que o período de negócios se abra, continua sendo vital que o clube possa recuperar algum dinheiro diminuindo o elenco.

Ángel Di María sairá assim que seu contrato expirar, em junho. Outros jogadores como Julian Draxler e Keylor Navas (ambos sob contrato até junho de 2024) provavelmente partirão para ter mais tempo de jogo antes da Copa do Mundo de 2022.

Também pode ser a mesma situação para o zagueiro senegalês Abdou Diallo. Enquanto isso, o clube segue interessado em encontrar novos clubes para os laterais Layvin Kurzawa e Colin Dagba. Os jovens Edouard Michut e Junior Dina Ebimbe também devem deixar o elenco devido à falta de oportunidades na equipe principal.

Leandro Paredes ficará sem contrato em 2023 e está despertando o interesse das equipes da Itália. O zagueiro Thilo Kehrer está na mesma posição, com um possível retorno à Alemanha como opção.

Há também um ponto de interrogação sobre o futuro de Idrissa Gueye, que tem apenas mais um ano de contrato. Entre os atacantes, ainda não está claro o que acontecerá com Icardi. O argentino teve um ano ruim (apenas 13 partidas, cinco gols e nenhuma assistência nesta temporada), mas ainda tem dois anos de vínculo. O clube ouvirá ofertas, mas fontes disseram à ESPN que não preveem muito interesse no jogador.

Por fim, ainda haverá uma decisão sobre o treinador e o diretor esportivo.

Para Mauricio Pochettino, é extremamente provável que não esteja no comando da equipe na próxima temporada depois do insucesso na Champions. No entanto, se o PSG não conseguir encontrar um substituto adequado, então o argentino pode ficar. Quase que por apenas uma formalidade.

Ele ainda tem um ano de contrato, mas disse a funcionários que não permaneceria se não tivesse mais controle no clube, inclusive sobre a construção do elenco, e se não puder impor mais de suas ideias, incluindo aquelas sobre disciplina.

Todo o cenário descrito acima leva ao diretor esportivo, Leonardo, e seu futuro no clube.

O brasileiro é um comunicador habilidoso e está tentando tudo o que pode manter seu emprego. Se for demitido, os nomes que contam com admiradores no PSG são Andrea Berta, diretor do Atlético de Madrid, e Michael Edwards, ex-Liverpool, segundo fontes disseram à ESPN.

O maior problema de Leonardo, porém, é que Pochettino não está interessado em continuar trabalhando com ele e, segundo informações, Zidane também não. Ou seja: o brasileiro pode acabar demitido devido ao 'status quo' ou à chegada de um novo treinador.