<
>

Decepção? Menin é sincero sobre Diego Costa no Atlético-MG, cita problema crucial e admite: 'Não chegou no auge'

Mecenas do Atlético-MG contou como foi a saída do centroavante, que chegou com alta expectativa, mas não rendeu o esperado no clube


Atual campeão brasileiro, o Atlético-MG ainda não engrenou na competição em 2022. Com duas vitórias, dois empates e uma derrota, a equipe de Antônio Mohamed terá nesta quarta-feira (11) confronto antecipado pela 7ª rodada diante do Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista.

Curiosamente, a última vez que o Galo esteve no palco da partida desta quarta-feira, o time precisou suar e muito a camisa para sair com um empate por 1 a 1. O autor do gol foi Diego Costa, nome badalado contratado para ser parceiro de ataque de Hulk e que chegou com status de craque desejado por diversos times do futebol brasileiro.

Aquela partida marcou a estreia de Diego Costa com a camisa do clube mineiro. Porém, o que parecia ser uma parceria de sucesso se transformou em frustração e rescisão de contrato. Ao todo, o atacante vestiu 19 vezes a camisa do Atlético-MG e anotou apenas cinco gols.

Contratado em agosto de 2021, Diego Costa e o clube encaminharam a rescisão do vínculo nos primeiros dias de 2022. Em entrevista ao ESPN.com.br, Rubens Menin, principal investidor do clube mineiro, explicou como se deu a saída de Diego Costa e admitiu que o centroavante ‘não estava mais no auge’ quando chegou ao Galo.

“Eu nunca falo isso (decepção). Eu digo que a carreira de um atleta é muito longa. O Diego Costa teve fases fantásticas na carreira. Ele foi convocado para a seleção da Espanha, esteve no Atlético de Madrid e passou por um momento ruim no último ano. A carreira dele foi muito incerta, sofreu com lesões. Ele não chegou no auge aqui no Atlético, ainda mais durante competições difíceis”, iniciou.

“Ele chegou abaixo do nível dele e não se adaptou ao Atlético. Isso é normal. A gente apostava nele, queríamos um camisa 9 que ajudasse o Hulk, mas, infelizmente não deu. Quando ele viu que não deu, ele foi inteligente e encerrou o contrato. Ficamos acertados, com respeito. Ele cumpriu tudo, não teve nenhum episódio dele que foi ruim. Enquanto ele esteve aqui sempre foi muito profissional”, finalizou o ‘mecenas’ atleticano.

O ESPN.com.br apurou ainda com fontes ligadas ao clube mineiro que Diego Costa tinha excelente relação com o grupo e era bem quisto pelos principais nomes do elenco dirigido pelo técnico Cuca. No entanto, a parte física foi um grande problema para as partes. O centroavante sofreu com diversas lesões no curto período no qual esteve no Galo.

Com isso, a diretoria passou a entender que Diego Costa não seria um bom custo-benefício’ para o clube, uma vez que o atleta teria contrato a cumprir até o final de 2022. Além disso, o centroavante deu uma entrevista à Rádio 98FM, de Belo Horizonte, na qual deixou em aberto uma possível saída para outro clube, o que ajudou a desgastar ainda mais a relação.

“Tem a Copa do Brasil, que é um jogo muito importante. Ano que vem tem muitas coisas que podem acontecer. Pode ser que eu fique, pode ser que eu saia. Então, o importante é que esse ano foi um ano abençoado por Deus, um ano que a gente conquistou as coisas”, disse o atacante, em trecho que incomodou a diretoria atleticana e parte da torcida.

No período de rescisão de contrato com o Atlético-MG, Diego Costa teve a possibilidade de acertar com o Corinthians. O clube do Parque São Jorge ofereceu um contrato ao atacante, que deixou em aberto e não respondeu de imediato se gostaria de defender o Alvinegro. Após alguns dias de conversa, o Timão desistiu de um acordo.

“'Não virá para o Corinthians nesta janela. É um grande jogador, a cara do Corinthians, poderia nos ajudar demais. Mas é uma operação que para nós não fecha a conta. Independentemente de ter um parceiro, tenho um parceiro para ajudar na contratação do Diego, mas que pode ajudar na de outro atleta”.

“Os números, independente de quem paga a conta, para nós, mesmo tendo patrocinador pagando, a gente entende que não é um valor, não é porque o dinheiro não sai do cofre do Corinthians que não vou ter responsabilidade. O Corinthians continua no mercado estudando sem pressa, tivemos paciência, apanhei bastante nos 8 primeiros meses do ano'”, disse antes de completar:

“O Diego quis jogar no Corinthians. Não está esperando. E se fosse (o caso de esperar), jamais iríamos esperar um segundo. O Corinthians é grande demais, quem vier tem que querer muito, quem quer muito está aqui'”, finalizou Duílio. Com 33 anos, o atacante não vai a campo desde o dia 12 de dezembro e está atualmente sem clube.