<
>

Ex-Arsenal abre portas para Espanha e não esconde decepção com seleção brasileira: 'Algumas coisas me deixaram bastante triste'

Sem chances pela seleção brasileira, Gabriel Paulista quer chamar a atenção de Luis Enrique para defender a Espanha


O zagueiro Gabriel Paulista está na Europa desde 2013, mas nunca teve a chance de jogar pela seleção brasileira. O defensor de 31 anos, atualmente no Valencia, foi convocado apenas três vezes, sequer entrou em campo e agora mira uma vaga em outra seleção: a da Espanha.

Em entrevista à ESPN na Espanha, Gabriel Paulista revelou certa decepção com a seleção brasileira pela falta de chances e afirmou que gostaria muito de jogar pela Espanha, dirigida pelo técnico Luis Enrique.

Eu falei várias vezes que, claro, meu sonho era jogar pela seleção brasileira. Sei que fui convocado em algumas eliminatórias, mas não joguei nem um minuto, e no Brasil há muitos jogadores de alto nível. É muito difícil, e há algumas coisas que me deixaram bastante triste, porque joguei duas temporadas em nível muito alto e não me deram nenhuma oportunidade de jogar pela seleção brasileira”.

“Apareceu uma pequena oportunidade de primeiro ter meus documentos, meu passaporte, e logo vi que Luis Enrique havia dito algo. Claro que eu gostaria muito de defender a seleção espanhola”.

Para realizar o "novo sonho" de defender a Espanha, Gabriel Paulista espera ter mais sequência no Valencia. Nesta temporada, o zagueiro perdeu tempo por lesão e entrou em campo apenas 18 vezes somando LaLiga e a Copa do Rei, que o clube foi vice-campeão.

“Nesta temporada eu joguei poucas partidas, passei por momentos complicados com lesão, mas nas partidas que joguei eu fui muito bem, pude ajudar meus companheiros de alguma maneira. Quero seguir assim, melhorando cada vez mais. Faltam poucas partidas, então quero estar em minha melhor nível, terminar bem a temporada e seguir chamando a atenção de Luis Enrique. Esse também é meu objetivo, uma convocação”.

Revelado pelo Vitória, Gabriel Paulista está na Europa desde 2013 e defendeu Villarreal e Arsenal antes de chegar ao Valencia, em 2017. O zagueiro foi convocado pela seleção para amistosos e compromissos na eliminatórias em 2015, ainda sob comando de Dunga, mas não saiu do banco. Por isso, ele pode defender outra seleção nacional.