<
>

Ex-Real Madrid e Manchester United anuncia saída de seleção após não conquistar vaga na Copa do Mundo

Carlos Queiroz afirmou em entrevista coletiva que deixará o comando do Egito


Depois de não conseguir a classificação para a Copa do Mundo do Catar, o Egito ficou sem treinador. O técnico Carlos Queiroz anunciou que deixará o comando da seleção.

Ex-auxiliar de Sir Alex Ferguson no Manchester United e treinador do Real Madrid na temporada 2003-04, o português deu a notícia em entrevista coletiva após a partida.

"Chegou o momento de deixar o cargo para outro treinador", disse Queiroz.

"O meu sonho era levar o país ao Mundial pela quinta vez, mas foi o Senegal que se qualificou. Acabou, infelizmente falhamos e não há muito mais a dizer sobre o assunto, apenas felicitar os nossos jogadores pela partida que fizeram e felicitar o Senegal pela classificação."

Adversário na decisão por uma vaga na Copa, Senegal já havia sido carrasco do Egito na decisão da Copa Africana de Nações. Após o 0 a 0 no tempo normal, vitória nos pênaltis.

No mata-mata, o roteiro foi parecido. Os senegaleses revertarem o 1 a 0 do jogo de ida em Cairo e, após a prorrogação, voltaram a bater os egípcios nas penalidades. E Queiroz, novamente, viu Cissé sair festejando.

"Não tenho problema em admitir. O meu objetivo era voltar a jogar contra Aliou Cissé e ganhar. Talvez tivesse vencido se estivesse sete anos como selecionador do Egito como ele está como selecionador do Senegal. Agora eles estão festejando a classificação porque o Mundial é um torneio especial que se realiza a cada quatro anos e que perderá o seu valor se for organizado com maior frequência. Mais de 230 países estão na corrida pelo Mundial, mas apenas os melhores lá chegam", finalizou.

Queirouz estava em sua segunda temporada como treinador do Egito. Anteriormente, havia treinador a Colômbia, Irã, seleção que trabalhou por nove anos, e Portugal. No início da carreira também passou por Emirados Árabes e África do Sul.

As duas equipes agora não têm calendário certo, mas farão amistosos até o final do ano. Os senegaleses usarão os jogos como preparação para a Copa do Mundo, enquanto os egípcios começam a pensar no ciclo de 2026.