<
>

Com vitória sobre a Bolívia, Brasil deve deixar Bélgica para trás e assumir liderança do ranking da Fifa

Goleada por 4 a 0 sobre os bolivianos deve recolocar o Brasil na ponta do ranking, algo que não acontece de 2017


Nesta terça-feira (29) a seleção brasileira goleou por 4 a 0 a Bolívia, no Estádio Hernando Siles, em La Paz, e a vitória deve recolocar o país na liderança do ranking da Fifa, o que não acontece desde 2017. Isso porque o resultado construído em solo boliviano já é suficiente, em tese, para o Brasil tirar a líder atual, Bélgica, da ponta.

Antes da partida contra a Bolívia, o Brasil tinha 1823.42 pontos no ranking da entidade máxima do futebol mundial, em 2° lugar. Nos próximos dias, quando o ranking for atualizado - segundo os critérios de pontuação -, a seleção brasileira deve passar os belgas, que neste momento têm 1828.45 pontos, mas tiveram um resultado adverso em amistoso contra a Irlanda (49° no ranking da Fifa), na semana passada, que terminou em 2 a 2.

E nem mesmo a vitória por 3 a 0 sobre Burkina Faso (56°), nesta terça, em novo amistoso, deve ajudar a Bélgica a se manter na ponta. Em 2018, o ranking da Fifa passou a ter um critério de pontuação semelhante ao do xadrez. As posições no ranking de cada seleção e o peso das partidas são levados em consideração. Assim como o número de gols.

O Brasil, por sua vez, vem de duas goleadas seguidas por 4 a 0 sobre Chile (26°) e Bolívia (76°), em jogos oficiais.

A seleção brasileira não sabe o que é assumir a liderança do ranking da Fifa desde agosto de 2017. No mês seguinte, naquele mesmo ano, o Brasil perdeu a liderança para a Alemanha. A Bélgica, por sua vez, chegou ao topo em outubro de 2018 e, desde então, não deixou mais o posto.

O ranking da Fifa, entre outras utilidades, ajuda a definir os potes do sorteio para a Copa do Mundo. O Brasil, porém, já está garantido no pote um no sorteio do Mundial do Catar, em 1° de abril, mesmo na sua atual colocação no ranking. Veja abaixo como deve ficar o ranking da Fifa após ser atualizado:

  1. Brasil

  2. Bélgica

  3. França

  4. Argentina

  5. Inglaterra

  6. Itália

  7. Espanha

  8. Portugal