<
>

Ex-piloto da Fórmula 1 vê decisão 'ridícula' e prevê problema para FIA: 'Isso pode durar um mês'

play
Fórmula 1: Verstappen supera Hamilton e é o grande campeão! Renan do Couto analisa temporada do holandês (4:28)

Um dos melhores campeonatos da história da Fórmula 1 terminou neste domingo (12) (4:28)

Olivier Panis criticou a forma como a reta final do GP de Abu Dhabi foi conduzida pelas autoridades


O Campeonato Mundial de Fórmula 1 foi decidido com muita emoção. Neste domingo (12), Max Verstappen conseguiu uma ultrapassagem na volta final em cima de Lewis Hamilton, confirmou a vitória em Abu Dhabi e conquistou seu primeiro título na categoria.

Houve quem questionasse a forma como a prova foi conduzida. A Mercedes, por exemplo, entrou com dois protestos oficiais, que foram negados pela FIA. Isso porque restando poucas voltas para o final, Hamilton liderava com folga, até que Latifi sofreu duro acidente e houve a entrada do safety car na pista.

Por uma decisão do diretor de prova, foi permitido que houvesse ultrapassagem dos retardatários pouco antes da última e decisiva volta, com o Safety Car voltando aos boxes logo depois. Com pneus novos, Verstappen teve vantagem em relação a Hamilton, garantiu a vitória e o título. Na opinião de Olivier Panis, ex-piloto de Fórmula 1, houve erros graves da direção de prova.

"Mais uma vez, acho que a gestão da corrida foi péssima este ano. Não quero bater nas pessoas, mas francamente, elas foram ridículas. É por isso que a tensão aumentou durante a temporada. As regras são as regras. A vitória não deve ser tirada de Verstappen, ele merece. Mas as regras são as regras", disse o ex-piloto ao canal de televisão RMC.

"O que a direção da corrida fez é ridículo, ridículo. Ou termina sob o safety car, ou todos os carros podem ultrapassar o safety car. É uma coisa justa. Não estou esperando uma mudança para Verstappen ou Mercedes. Mas pode haver alguma coisa se a reclamação for aceita. Também pode ir a um tribunal de apelação e pode durar um mês", continuou o francês.

Mesmo após a rejeição dos protestos pela FIA, a Mercedes anunciou a intenção de apelar oficialmente o resultado da corrida. A equipe terá 96 horas para registrar o pedido