<
>

São Paulo planeja aumentar capacidade de Interlagos para o Grande Prêmio de 2022

São Paulo tem como uma de suas prioridades para o próximo ano de Fórmula 1 aumentar a capacidade de público do Autódromo de Interlagos. Atualmente, o palco do Grande Prêmio de São Paulo tem capacidade para 60 mil pessoas, mas o promotor do evento, Alan Adler, adiantou que isso deve mudar em 2022.

Na semana passada, no Grande Prêmio do México, mais de 138 mil pessoas compareceram no autódromo apenas no domingo, dia da corrida. Ao longo de todo o fim de semana, mais de 345 mil pessoas assistiram Hamilton, Verstappen e companhia in loco.

Algo semelhante ocorreu em Austin, no Texas, onde 400 mil pessoas estiveram presentes no Grande Prêmio dos EUA de Fórmula 1, números que confirmam o sucesso no processo de renovação da principal categoria do automobilismo mundial.

“É uma prioridade. A pista eu deixo para a FIA, para a F1, para a Confederação Brasileira de Automobilismo. Mas, com certeza, a estrutura do autódromo, sim. Estamos conversando com o governo, com o secretário, para ampliarmos um pouco [a capacidade] já no ano que vem, porque público tem, apaixonado tem, amante tem. A gente só precisa ter mais capacidade, porque não tem sentido a gente ter um público menor que o México, menor até que o próprio EUA”, disse Alan Adler.

A expectativa de público deste fim de semana em Interlagos é superior a 175 mil pessoas. O Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1 é o primeiro grande evento da cidade desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Com contrato renovado pelos próximos dez anos, São Paulo não sairá do calendário da Fórmula 1 tão cedo. O evento, inclusive, foi pilar da rixa política entre o governador, João Doria, e o presidente, Jair Bolsonaro, que queria levar a corrida para o Rio de Janeiro. Interlagos continuará recebendo a principal categoria do automobilismo mundial, mas correu o risco de ficar de fora neste ano. Não por perder a concorrência para o Rio, mas, sim, devido à pandemia.

“Não me esqueço. Alguns meses atrás, em reunião virtual, tivemos que tomar uma decisão difícil. Em julho, perguntamos se poderíamos confirmar Interlagos no calendário deste ano. O governador disse para mim que estariam preparado, que as pessoas estariam vacinadas, que era para a gente confiar neles. E aqui estamos nós. Obrigado. Isso é algo que não vamos esquecer”, comentou o CEO da Fórmula 1, Stefano Domenicali.