<
>

Fórmula 1: na Hungria, Vettel critica governo do país e sai em defesa da comunidade LGBTQIA+: 'Mude o mundo'

Segundo colocado no GP da Fórmula 1 de Hungaroring, na Hungria, neste domingo (1) o piloto Sebastian Vettel mostrou mais uma vez o seu empenho em relação às causas sociais. Durante a corrida, o alemão protestou contra o governo do país europeu e saiu em defesa da comunidade LBTQIA+.

Tetracampeão do mundo na F1, o piloto de 34 anos colocou o arco-íris no seu capacete e uma frase com os seguintes dizeres.

"Mude o mundo de bitoca em bitoca". Além disso, o alemão também usou uma camisa nas mesmas cores, com a frase: "Mesmo amor".

A Hungria vive um momento político bastante conturbado. No dia 15 de junho, o parlamento húngaro adotou uma lei que proíbe menções à homossexualidade e mudança de sexo para crianças nas escolas.

O assunto também rendeu polêmica no futebol, durante a disputa da Eurocopa 2020. Durante a fase de grupos, a Uefa, entidade que organiza a competição, impediu que a Allianz Arena, em Munique, na Alemanha, fosse iluminada na parte de fora com as cores do arco-íris, durante partida entre a seleção alemã e a Hungria.

Na última quinta-feira (29), durante os preparativos para a corrida, Vettel também usou um tênis temático e, durante entrevista coletiva, também citou a causa. "Todos devem ser livres para amar", disse.

Esta não é a primeira vez que o piloto sai em defesa da mesma causa durante o campeonato mundial. Durante o GP da Turquia, país regido por Tayyip Erdogan, governante que tem entre as suas características o conservadorismo, Vettel usou capacete parecido ao do GP da Hungria com duas mensagens: "Sem fronteiras, apenas o horizonte, somente a liberdade" e "Juntos como um só".

Vettel está em 9º no ranking do campeonato mundial com 48 pontos e, neste domingo, subiu pela segunda vez ao pódio na atual temporada. O piloto, porém, ainda não venceu nenhuma corrida.