<
>

Fórmula 1: Hamilton se impõe e vence o GP da Toscana; corrida é marcada por acidentes

play
Após 1ª vitória na F1, Gasly comenta saída da Red Bull e 'resposta na pista': 'Houve razões para não ser competitivo, mas não queria ir na mídia' (1:42)

Piloto francês levou a AlphaTauri ao primeiro lugar em Monza e conquistou sua primeira vitória na categoria (1:42)

O inglês Lewis Hamilton venceu mais uma etapa na Fórmula 1, a 90ª da carreira, desta vez no GP da Toscana. Com isso, o piloto da Mercedes fica a uma vitória do recorde de Michael Schumacher.

O número 44 chegou a perder a posição para Valtteri Bottas, mas logo se recuperou e garantiu mais um triunfo. Seu companheiro de equipe terminou em segundo, com Albon, da Red Bull, completando o pódio. A prova ficou marcada pelos acidentes logo no começo, que deixaram sete pilotos de fora.

Três fatos deram maior destaque a esta corrida. O primeiro foi a entrada da pista no circuito da Fórmula 1, algo excepcional devido à pandemia.

Além disso, foi o primeiro GP com a presença de público. Três mil espectadores acompanharam o evento.

A prova ainda marcou o milésimo grande prêmio disputado pela Ferrari, que correu em casa. Por conta disso, seus carros tiveram uma cor homenageando o primeiro carro da escuderia, assim como o safety car, que costuma ser amarelo e estava pintado de vermelho.

A corrida já começou com muita emoção. Bottas assumiu a liderança pouco depois da largada, e a briga pelo terceiro lugar também foi intensa. Leclerc largou muito bem e chegou à terceira colocação. Em um acidente ocorrido na largada, Verstappen e Gasly deixaram a prova. O safety car foi acionado ainda na primeira volta.

O piloto da Red Bull girou na pista e não conseguiu retornar. Pouco antes da largada, Verstappen reclamou da aceleração de seu carro. Após o início da corrida, ficou claro que algo não estava como devia, pois o carro demorou seis segundos para atingir 200km/h, fazendo com que o holandês perdesse posições e, pouco depois, abandonasse o GP.

Na relargada, novo acidente. Desta vez, forçando quatro pilotos a abandonarem a prova e recolocando o safety car na pista. A batida foi entre Sainz, Lafiti, Magnussen e Giovinazzi. Devido à gravidade do ocorrido e aos destroços na pista, a corrida foi paralisada. Durante a paralisação, Ocon, da Renault, optou por deixar a prova.

Na segunda relargada, Hamilton deu o troco no companheiro de equipe, ultrapassando-o na primeira volta.

A partir disso, apesar das estratégias de Bottas, o britânico dominou a corrida e não perdeu a liderança nem quando foi para os boxes.

Apesar do excelente início, Leclerc encontrou muitas dificuldades ao longo da prova, algo recorrente nos carros da Ferrari na temporada. O monegasco conseguiu terminar a corrida em nono lugar apenas, não conseguindo reagir às tentativas de ultrapassagem dos adversários.

Próximo do final da corrida, Stroll perdeu o controle na curva e bateu com força, sendo o oitavo piloto a deixar a prova. A batida forçou a terceira entrada do safety car na pista. O piloto brigava pela quarta posição quando abandonou. A corrida foi novamente paralisada, exigindo uma terceira largada.

Na terceira e última largada, Hamilton não deixou Bottas se aproximar. O finlandês chegou a perder o segundo lugar para Ricciardo, mas recuperou. Raikkonen recebeu punição de cinco segundos por saídas da pista nas curvas.

Veja o resultado do Grande Prêmio de Mugello de Fórmula 1:

1- Lewis Hamilton (Mercedes)

2- Valtteri Bottas (Mercedes): +4.880

3- Alex Albon (Red Bull): +8.064

4- Daniel Ricciardo (Renault): + 10.417

5- Sergio Pérez (Racing Point): +15.650

6- Lando Norris (McLaren): + 18.883

7- Daniil Kvyat (Alpha Tauri): + 21.756

8- Kimi Raikkonen (Alfa Romeo): + 29.770

9- Charles Leclerc (Ferrari): + 28.345

10- Sebastian Vettel (Ferrari): + 29.983

11- George Russell (Williams): + 32.404

12- Romain Grosjean (Haas): + 42.036

13- Lance Stroll (Racing Point): não terminou a corrida

14- Esteban Ocon (Renault): não terminou a corrida

15- Kevin Magnussen (Haas): não terminou a corrida

16- Nicholas Latifi (Williams): não terminou a corrida

17- Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo): não terminou a corrida

18- Carlos Sainz (McLaren): não terminou a corrida

19- Max Verstappen (Red Bull): não terminou a corrida

20- Pierre Gasly (Alpha Tauri): não terminou a corrida