<
>

Fórmula 1: Em luta contra o racismo, Mercedes apresenta carro todo preto para a temporada

play
Após caso de racismo, pilotos da Nascar se unem a Bubba Wallace em momento emocionante de solidariedade (0:30)

Na garagem de Bubba Wallace, foi encontrado um laço de enforcamento, forma cruel que matou milhares de negros nos Estados Unidos (0:30)

Engajada em combater formas de racismo e aumentar a diversidade e a inclusão na F1 e na sua equipe, a Mercedes anunciou que vai competir com carros com a carenagem majoritariamente preta na temporada 2020.

Assim, a equipe abandona a icônica pintura prata que acompanhou a equipe desde sua volta ao grid, em 2010.

Lewis Hamilton, uma das vozes mais contundentes na luta contra a discriminação racial no esporte mundialmente, conversou diretamente com a direção da equipe e da própria montadora mãe sobre a importância do combate ao racismo.

Como parte do anúncio da ação e explicação de seu intuito, a equipe reveleou que apenas 3% de seu estafe declarou fazer parte de uma minoria, e só 12% são mulheres - números que a equipe quer alterar.

"É muito importante que aproveitemos esse momento e o utilizemos para nos educar, seja você é um indivíduo, marca ou empresa, para fazer mudanças realmente significativas quando se trata de garantir igualdade e inclusão", disse Hamilton.

"Eu pessoalmente experimentei racismo em minha vida e vi minha família e amigos experimentando racismo, e estou falando de coração quando apelo à mudança" completou.

"Quando falei com Toto sobre minhas esperanças em relação ao que poderíamos alcançar como equipe, eu disse que era muito importante que nos uníssemos. Gostaria de agradecer imensamente a Toto e o Conselho da Mercedes por terem tempo para ouvir. , para conversar e realmente entender minhas experiências e paixão, e por fazer essa importante declaração de que estamos dispostos a mudar e melhorar como empresa", acrescentou.

"Queremos construir um legado que vá além do esporte e, se pudermos ser os líderes e começar a construir mais diversidade em nossos próprios negócios, isso enviará uma mensagem tão forte e dará a outros a confiança necessária para iniciar um diálogo sobre como eles podem implementar mudanças ".

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse: "O racismo e a discriminação não têm lugar em nossa sociedade, esporte ou equipe: esta é uma crença central na Mercedes. Mas ter as crenças e a mentalidade certas não é suficiente se permanecermos em silêncio.

"Desejamos usar nossa voz e nossa plataforma global para defender o respeito e a igualdade, e o Silver Arrow correrá de preto durante toda a temporada de 2020 para mostrar nosso compromisso com uma maior diversidade dentro de nossa equipe e esporte. Não nos envergonharemos" longe de nossas fraquezas nesta área, nem do progresso que ainda devemos fazer, nossa pintura é nossa promessa pública de tomar ações positivas.

"Pretendemos encontrar e atrair os melhores talentos da maior variedade possível de experiências e criar caminhos confiáveis ​​para que eles cheguem ao nosso esporte, a fim de formar uma equipe mais forte e diversificada no futuro. Eu também gostaria de aproveite esta oportunidade para agradecer à empresa-mãe Mercedes-Benz e à nossa família de parceiros de equipe que apoiaram e incentivaram essa iniciativa ".