<
>

Ex-chefão da Fórmula 1 elogia postura de Hamilton, mas diz: 'Em muitos casos, negros são mais racistas que brancos'

play
Fernando Alonso vence corrida virtual de Fórmula Indy (2:10)

Tiago Monteiro ficou na segunda colocação, e Hélio Castroneves completou o pódio do 'The Race All-Star Esports Series' (2:10)

Lewis Hamilton tem sido uma das vozes mais ativas do mundo do esporte nas manifestações contra o racismo depois da morte de George Floyd por um policial nos Estados Unidos. O hexacampeão foi a um protesto, tem lutado pela diversidade nos esportes a motor e chegou a criticar publicamente o silêncio das pessoas ligadas à Fórmula 1 a respeito do assunto.

Chefão da F-1 por quase quatro décadas, Bernie Ecclestone comentou sobre a situação em entrevista à emissora CNN.

“Lewis é um tanto especial”, afirmou o inglês de 89 anos. “Primeiro ele é muito, muito, muito talentoso como piloto e parece ser agora extremamente talentoso quando está de pé e pode fazer discursos”.

“Esta última campanha que ele está fazendo pelas pessoas negras é maravilhosa. Ele está fazendo um grande trabalho, e são pessoas assim, facilmente reconhecíveis, que as pessoas ouvem.”

Questionado sobre The Hamilton Commission, que foi criada pelo piloto da Mercedes com o intuito da busca por maior diversidade no esporte a motor, ele respondeu que: “eu não acho que irá fazer algo ruim ou bom para a Fórmula 1”.

“Isso apenas fará as pessoas pensarem o que é mais importante. Eu acho que é o mesmo para todo mundo. As pessoas devem pensar um pouco: ‘Bem, que diabos. Alguém não é igual às pessoas brancas, e as pessoas negras deveriam pensar o mesmo sobre pessoas brancas.'”

“Em muitos casos, as pessoas negras são mais racistas do que pessoas brancas são”, declarou Ecclestone.

Questionado pela CNN sobre a afirmação, ele não apresentou uma evidência concreta e disse que apenas "notou" isso pelos anos.