<
>

Fórmula 1: Hamilton diz sentir que Senna 'passou o bastão' para ele e responde sobre Schumacher

Lewis Hamilton chega no GP do Brasil deste fim de semana já com o título da Fórmula 1 na bagagem. O britânico, agora hexacampeão mundial, está a apenas um título do alemão Michael Schumacher, recordista histórico com sete conquistas. Mas isso não é uma meta clara para o piloto da Mercedes.

"É dificil responder (sobre alcançar Schumacher), porque sempre fui inspirado pelo Ayrton Senna. E é louco, porque ainda sinto falta dele, às vezes assisto a vídeos dele na internet", disse Hamilton em evento da Petronas nesta quarta-feira.

"Queria fazer algo similar a ele, e quando cheguei a três titulos (número de conquistas de Senna), que já foi um sonho... Na minha cabeça, é como naquelas corridas olímpicas, quando alguém passa o bastão. Eu peguei o bastão do Ayrton e quero ver até onde posso chegar", completou.

Apesar da proximidade do recorde, Hamilton não pensa tanto em 2020 e prefere viver sempre o presente.

"Claro que posso sonhar e ter aspirações no futuro, mas já estou pensando na próxima corrida", garantiu.

E mesmo que alcance Schumacher, o britânico não irá se considerar o melhor da história. Ao menos, é o que ele diz.

"Eu assisto muitos esportes, e acho que no automobilismo é muito difícil definir. No tênis, por exemplo, é individual com a raquete. É mais pessoal, é você com você mesmo. No nosso, tem tantos elementos, trabalho com um time de quase 2 mil pessoas, e se eu não motivá-los, se eles não fizerem o trabalho que fazem, não vamos conseguir", justificou.

O GP do Brasil acontece a partir desta sexta-feira, dia 15 de novembro, em Interlagos, São Paulo. A corrida é no domingo, dia 17.