<
>

Leclerc conquista pole e larga na frente no GP da Itália

Ele vem embalado! Após vencer sua primeira corrida na Bélgica, na última semana, Charles Leclerc confirmou o favoritismo do final de semana e conquistou sua quarta pole position da temporada no treino classificatório neste sábado, para a disputa do GP da Itália, em Monza. Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, ambos da Mercedes, ficaram com o segundo e terceiro lugares (0s039 e 0s047 atrás, respectivamente). Vettel vai fechar a segunda fila do grid.

Ricciardo e Hulkenberg, da Renault, vêm em quinto e sexto, respectivamente, seguidos de Sainz (McLaren), Alborn (RBR), Raikkonen (Alfa Romeo) e Stroll (Racing Point). Verstappen, que já largaria em último por punição, abandonou prova ainda no Q1.

A Ferrari tenta dar um fim em uma sequência indigesta dentro de casa. O último vencedor no GP da Itália foi Fernando Alonso, em 2010, ou seja, há incríveis nove anos. Desde então, foram vencedores em Monza a RBR (com Sebastian Vettel em 2011 e 2013), McLaren (Hamilton, em 2012) e, claro, a Mercedes (com Hamilton, em 2014, 2015, 2017 e 2018, e Rosberg, em 2016).

O Grande Prêmio da Itália acontece neste domingo, às 10h10 (de Brasília), no circuito de Monza. Hamilton, o atual pentacampeão, é líder na classificação geral, com 268 pontos conquistados, seguido do seu companheiro de Mercedes Bottas, com 203. Max Verstappen, da RBR, figura em terceiro (181), com Vettel em quarto (169) e Leclerc em quinto (157), ambos da Ferrari.

Q1: Leclerc, da Ferrari, fechou com o melhor tempo (1m20s126), seguido de Hulkenberg, da Renault, (1m20s155) e Bottas, da Mercedes, (1m20s156). Hamilton, Mercedes, foi o quarto, com Ricciardo, da Renault, na cola. Vettel, da Ferrari, ficou apenas com a sexta colocação.

O grande destaque ficou por conta de Max Verstappen. O holandês teve problemas e abandonou a prova, mas nada que o atrapalhasse, no fim das contas: ele já largaria no fim neste GP por ter colocado motor novo em seu carro na Bélgica, o que acarreta em punições. Além dele, Grosjean, Pérez, Russell e Kubica foram os eliminados.

Q2: Na última volta, Lewis Hamilton bateu o melhor tempo da prova, até então conquistada por Leclerc, e fecha o Q2 com 1m19s464, a melhor marca do final de semana. Leclerc veio em seguida, com 1m19s553, depois Vettel (1m19s715), Ricciardo e Bottas. Os eliminados foram Giovinazzi, Magnussen, Kvyat, Norris e Gasly.

Q3: A última atividade precisou ser interrompida por conta de um erro de Raikkonen na parabólica. Antes disso, porém, Leclerc já havia anotado o melhor tempo (1m19s307) e ficou com a pole position na Itália, seguido de Lewis Hamilton (0s039 atrás) e Bottas (0s047). Antes da bandeira vermelha, porém, Vettel excedeu os limites da pista e teve sua volta colocada em dúvida, mas ainda não houve punição – ele largará em quarto.

Um fato curioso chamou a atenção. Os pilotos voltaram para a pista faltando apenas dois minutos para o fim do Q3, com todos os nove carros saindo dos boxes ao mesmo tempo. Resultado? Uma confusão na pista, com apenas Sainz conseguindo cruzar a linha para abrir uma nova volta antes de o cronômetro zerar.

Mais cedo

No terceiro livre, na manhã deste sábado, a Ferrari ficou à frente mais uma vez, assim como nos dois treinos de sexta-feira, mas com Sebastian Vettel com o melhor tempo – o alemão cravou 1m20s294, à frente de Max Verstappen, da RBR, (0s032 atrás). Valttei Bottas, da Mercedes, e Charles Leclerc, da Ferrari fizeram o mesmo tempo, 0s109 atrás, e fecharam terceiro e quarto lugares.

Daniel Ricciardo, da Renault, ficou em quinto, seguido de um apagado Lewis Hamilton, da Mercedes. Completaram os dez primeiros, Nico Hulkenberg (Renault), Alexander Albon (RBR), Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) e Daniil Kvyat (STR).