<
>

Ex-chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone é preso em aeroporto de São Paulo por porte ilegal de arma

play
'Amanhã eu vou perder': Meligeni revela como técnico o fez vencer rival do qual ele era freguês em Roland Garros (3:44)

Ex-tenista e atual comentarista da ESPN relembrou a vitória contra espanhol Mantilla nas oitavas em 1999 (3:44)

Aos 91 anos, ex-chefão da Fórmula 1 foi liberado após pagamento de fiança de R$ 6 mil


Bernie Ecclestone, ex-CEO da Fórmula 1, foi preso na última quarta-feira (25) no Aeroporto de Viracopos, em Campinas. Aos 91 anos, ele foi pego em flagrante com uma pistola calibre 32 sem documentação regular.

A arma estava dentro do bolso de uma camisa de Ecclestone, dentro da mala, e foi visualizada no raio-x. Após pagamento de fiança R$ 6 mil, o antigo 'chefão' da Fórmula 1 foi liberado.

"O conduzido alegou ser proprietário da arma, de forma irregular, mas alegou não ter conhecimento que estava em sua bagagem pessoal", disse a Polícia Civil em nota.

De acordo com o boletim de ocorrência, que o G1 teve acesso, a bagagem foi encaminhada para uma área de embarque da Polícia Federal. A arma era da marca LW Seecamp e não estava com munição nem carregador.

Em depoimento à polícia, Ecclestone afirmou que a arma foi comprada de um mecânico há cinco anos e ficava mantida em uma propriedade rural no interior de São Paulo.

O crime de porte ilegal de arma prevê pena de reclusão de quatro anos. No entanto, o delegado reconheceu alguns fatores, como natureza da infração, bem como os antecedentes do inglês, e foi definido o valor de R$ 6 mil para o pagamento de fiança, que corresponde a cinco salários mínimos.

A Polícia Civil abriu investigação do caso e Bernie foi colocado em liberdade provisória. Em seguida, ele e sua esposa, a brasileira Fabiana Ecclestone, que serviu de intérprete do caso, já que o marido não fala português, embarcaram em voo particular para a Suíça.