<
>

Nova liga de Counter-Strike, B Site terá MIBR e mais cinco times

Fallen (esq.) e KNG (dir.) da MIBR. Reprodução

A B Site, uma nova liga franqueada de Counter-Strike: Global Offensive que terá início em março, em Los Angeles, assinou uma parceria com seis equipes norte-americanas, informaram fontes à ESPN no domingo (26).

A liga contará com as equipes Cloud9, Gen.G, Dignitas, MiBR, MAD Lions e CR4ZY, e nenhuma delas vai disputar a ESL Pro League, que terá um calendário que entra em conflito com o da B Site. Além disso, nenhum time que disputará a ESL Pro League deve jogar a B Site em sua temporada inaugural.

Em uma publicação sobre a reestruturação da ESL Pro League, a ESL afirmou que havia convidado a Cloud9 e a MIBR — que participaram anteriormente do torneio —, mas ambas recusaram ou não responderam ao convite.

Segundo o site DBLTAP, cada equipe da B Site pagará uma taxa de franquia de US$ 2 milhões por uma propriedade parcial da liga e direito a participação nos lucros. Os jogadores também vão receber uma parte da participação nos lucros.

A liga terá uma fase de entrada online e convidar equipes adicionais como parceiras, com o objetivo de aumentar o número de participantes para 10 ou 12, disseram as fontes. As partidas da fase regular serão disputadas em Los Angeles em um local a ser determinado.

Enquanto muitos dos times convidados incluem jogadores da Europa e do Brasil, todos são propriedade de organizações norte-americanas, com diversas entrando no Counter-Strike pela primeira vez. O site DBLTAP reportou inicialmente a confirmação da Cloud9, Gen.G, Dignitas e MAD Lions em 17 de janeiro.

A Gen.G entrou no Counter-Strike em dezembro, adquirindo três jogadores da antiga Cloud9 e completando sua escalação com outros dois jogadores. A MAD Lions, que foi adquirida pela proprietária da Toronto Defiant e do Toronto Ultra, a OverActive Media, em maio, contratou o time da Tricked Esport também em dezembro.

Em 20 de janeiro, os proprietários do Paris Eternal e do Paris Legion, a c0ntact Gaming — organização de esports fundada por Drew McCourt, filho de Frank McCourt, ex-proprietário do Los Angeles Dodgers — adquiriu a escalação da CR4ZY. Cloud9, Gen.G, OverActive Media, c0ntact e a empresa-mãe do MiBR, a Immortals Gaming Club, possuem equipes próprias na Overwatch League.

"Vemos a B Site como um dos desenvolvimentos mais fundamentais nos esports hoje", disse à ESPN o cofundador e diretor de estratégia da OverActive Media Corp., Adam Adamou. "A OverActive Media vê essa iniciativa como muito importante para o futuro do competitivo de CS:GO para não intervir e apoiá-la com todos os recursos que podemos".

A B Site competirá com a ESL Pro League, que chamou a atenção na semana passada após a divulgação de um gráfico que listava 24 equipes, incluindo Astralis, Team Liquid, Fnatic, G2 Esports e outras. As 24 equipes em potencial foram convidadas a participar de uma reunião da ESL, e mais da metade compareceu a uma cúpula de três dias em Paris, na semana passada.

Após a divulgação deste gráfico, o DBLTAP relatou que nenhuma equipe havia assinado um acordo para participar da ESL Pro League no momento da publicação, mas que haviam concordado com cartas de intenção não vinculativas. Certas equipes que se qualificaram ou participaram da ESL Pro League na 10ª temporada não foram convidadas a participar da estrutura franqueada, mas poderiam competir na Mountain Dew League, que também é administrada pela ESL. O analista de Counter-Strike e jornalista de esportes Duncan "Thorin" Shields, que está ajudando a organizar o formato da B Site, condenou as ações da ESL nas mídias sociais.

A B Site será operada pela FACEIT, a empresa organizadora de torneios que administrava a Esports Championship Series, a ser extinta.

A FACEIT mostrou uma lista de talentos para uma nova liga de Counter-Strike, posteriormente esclarecida por fontes como sendo a B Site, nas mídias sociais na quarta-feira (22). Essa lista incluía Thorin, Anders "Anders" Blume, Jason "Moses" O'Toole, entre outros, bem como o retorno de Auguste "Semmler" Massonnat ao Counter-Strike e a adição de Christopher "MonteCristo" Mykles. Ao longo de dezembro e janeiro, Semmler e MonteCristo anunciaram sua saída da Overwatch League depois de dois anos no torneio.

O iminente lançamento da B Site e a reestruturação da ESL Pro League acontecem pouco mais de três anos após um desentendimento entre a ESL e muitas das equipes participantes da B Site.

Na ocasião, várias equipes norte-americanas — Cloud9, Immortals, Liquid, NRG Esports, Team SoloMid, Counter Logic Gaming e Complexity Gaming — formaram a Professional Esports Association (PEA), pois desejavam criar sua própria liga de Counter-Strike e retirar suas equipes da ESL Pro League. Essas equipes prometeram continuar competindo na Esports Championship Series na época.

A intenção dessa decisão levou a uma reação enorme entre a PEA e os jogadores competindo em suas equipes, que desejavam continuar competindo na ESL Pro League — onde algumas das melhores equipes do mundo competiam. Após danos significativos à sua reputação, a PEA disse que renunciaria aos planos de uma liga de Counter-Strike e que suas equipes permaneceriam na ESL Pro League. A tensão entre as equipes da PEA e seus jogadores mais tarde levaram à formação da Associação de Jogadores Profissionais de Counter-Strike, a CSPPA.

Notavelmente ausentes da B Site estão Liquid e Complexity, ambos co-fundadoras da PEA, mas que participarão da ESL Pro League. Complexity e Liquid participaram da cúpula com a ESL em Paris. A Liquid agora é considerada uma das melhores equipes de Counter-Strike do mundo.

O desenvolvimento de negócios da B Site foi liderado pelo presidente da Cloud9, Dan Fiden, e pelo CEO do MIBR e da Immortals Gaming Club, Ari Segal, disseram fontes. Antes de trabalhar na Cloud9 e na Immortals, respectivamente, Fiden trabalhou em investimentos na área da baía de San Francisco e Segal atuou como um executivo de equipe para o Arizona Coyotes, da NHL.

* Matéria originalmente publicada em inglês no ESPN Esports.