<
>

R6: 'Posso ver um futuro brilhante', comenta Twister sobre momento da equipe com chegada de Fntzy e R4re

A equipe da FURIA chegou no Six Invitational mostrando uma ótima performance FURIA

Com uma equipe nova e jogadores jovens, a FURIA apostou em novos talentos para chegar com tudo no cenário competitivo de Rainbow Six Siege. Hoje uma das seis equipes brasileiras no Six Invitational 2021, os Panteras se destacaram durante o qualificatório latino-americano para garantir sua vaga no mundial.

Para o elenco que representa a organização dentro dos servidores, algumas coisas mudaram desde a classificação da mesma para o campeonato. Sai Bersa e o experiente Novys, entra as promessas Fntzy e R4re e desde a chegada desses, apesar de não alcançarem os primeiros lugares, encontraram boas colocações para o tempo que estão juntos.

“Eu acredito que a frase que pode descrever essa mudança é: um futuro muito forte para a FURIA. Esses dois novos jogadores são muito talentosos, têm um psicológico forte e eu diria que é uma grande diferença em relação ao Novys e o Bersa. Eles ajudaram muito o time a estar aqui, mas nossos resultados que vieram depois aconteceram porque decidimos apostar nos novos talentos e, especialmente eu, estou muito feliz com essa aposta. Posso ver um futuro brilhante pro time”, comenta Twister, treinador da equipe, em resposta ao ESPN Esports Brasil.

Com as novas adições ao plantel, a equipe chega ao Six Invitational com um mix de qualidades: toda a bagagem trazida pelo treinador Twister, aliada a jogadores novos prontos para mostrar todo seu talento ao mundo e com vontade de se provar.

Enquanto para todos os jogadores é a primeira vez no campeonato, Twister coleciona participações no mesmo - por onde já passou com a FaZe e a NiP -, mas confessa que esse em específico tem um gostinho especial por estar ao lado de jogadores tão novos e com tanto talento.

“Nós somos um time muito novo e eu participei de outros Invitationals antes desse, mas esse tem um sentimento especial só por conta dos meninos que estão aqui comigo”, conta sobre o sentimento da primeira vez da organização no campeonato.

Os Panteras fizeram parte da avassaladora estreia das equipes brasileiras do grupo A no primeiro dia do campeonato. Emplacaram um 7 a 1 convincente contra a Calypso, superaram a campeã europeia G2 Esports na prorrogação por 8 a 7 e caíram para a BDS em um 7 a 4, fechando o dia com saldo positivo.

A estreia do elenco, assim como a das outras equipes do grupo, animou os fãs de Rainbow Six brasileiros e lembrou o resto do mundo o quão forte a região realmente é. No entanto, em meio a vitórias e derrotas, o primeiro dia foi cheio de aprendizados que ajudarão a criar a experiência necessária que falta para, quem sabe, a equipe poder avançar para as próximas fases do torneio.

“Acredito que a gente aprendeu muito sobre nossas fraquezas, os problemas com mentalidade e em alguns momentos como fechar os rounds com vantagens. Em muitos rounds tivemos vantagem contra a BDS, por exemplo, e acabamos entregando um pouco tentando fazer alguma jogada diferente que não era necessária”, avalia Twister sobre o que aprenderam com os confrontos desta terça (11). “Acredito que quando aprendermos a jogar contra alguns times, como aproveitar a vantagem e quando voltar para o bombsite para jogar juntos, chegaremos melhores para os próximos jogos”.

A equipe volta a se apresentar nos servidores pelo segundo dia do grupo A ainda nesta quinta (13), onde em dois de seus três confrontos, enfrentará as equipes brasileiras Liquid e Team oNe, além da sul-coreana Cloud9. Os jogos serão transmitidos através do canal principal do Rainbow Six Esports Brasil na Twitch.