<
>

Fortnite: Entre 2018 e 2019, o battle royale gerou mais de US$ 9 bilhões de receita

O processo entre Epic Games e Apple teve início nesta segunda (03) Divulgação/Fortnite

Desde seu lançamento, o battle royale Fortnite ganhou notoriedade ao redor do mundo e criou um império para a Epic Games, faturando mais de 9 bilhões de dólares entre os anos de 2018 e 2019. Os dados foram obtidos a partir de documentos judiciais apresentados pela Epic no processo entre a desenvolvedora e a multinacional Apple.

Os documentos foram apresentados ainda em janeiro do último ano, logo, não se tem nenhuma informação sobre os lucros que o battle royale gerou em 2020. Segundo a desenvolvedora norte-americana, na época em que os documentos foram apresentados, a projeção para o ano de 2020 era de que os lucros teriam uma queda de US$ 2,8 bilhões que seria causada por conta da queda de jogadores, menos usuários dispostos a comprar os cosméticos do jogo e também a saturação do mercado.

De acordo com os relatórios financeiros, dos nove bilhões que o jogo gerou nos últimos anos, US$5,5 bilhões foram durante o ano de 2018 e US$3,7 bilhões em 2019. Antes mesmo de deixar a App Store, estima-se que a versão mobile de Fortnite tenha gerado uma receita de aproximadamente US$1,2 bilhões segundo uma projeção feita pela empresa de análise mobile Sensor Tower.

Segundo Tim Sweeney, CEO da Epic Games, hoje o Fortnite conta com 400 milhões de usuários registrados ao redor do mundo.

Enquanto o famoso battle royale gera receitas bilionárias, a Epic Games Store ainda passa por dificuldades para gerar lucros. Ainda segundo os documentos, a loja virtual da desenvolvedora gerou um lucro total de US$235 milhões durante os anos de 2018 e 2019 e, devido a pagamentos para desenvolvedores para manter a exclusividade no computador e também os jogos grátis que a Epic distribui, a empresa perdeu por volta de US$ 181 milhões em 2018.

Também é esperado que o prejuízo da loja nos anos de 2020 e 2021 sejam de US$273 milhões e US$139 milhões respectivamente. Tim Sweeney também confirmou durante a audiência do imbróglio que ele não esperava que a Epic Games Store tivesse lucro por pelo menos três a quatro anos.

O processo acusa a Apple de praticar tarifas abusivas em cima de desenvolvedores que distribuem jogos através da loja do iOS. A guerra judicial entre Epic Games e Apple na justiça começou nesta segunda (03) e tem previsão de continuar por três semanas antes de uma decisão ser tomada.