<
>

CSGO: Entenda o futuro dos times e jogadores que foram desqualificados do CBCS

Até o momento, cinco equipes de dezesseis deixaram a competição devido as denúncias Divulgação/CBCS

A CBCS, evento RMR brasileiro que dá pontos para o Major de Estocolmo, começou na última semana e, em seus primeiros dias de competição, sofreu baixas importantes ao ver organizações como Isurus, Bears, Jaguares, Vivo Keyd e Detona Gaming abandonarem o torneio ao descobrirem que jogadores de seus elencos estariam envolvidos em contas banidas pelo VAC (Valve Anti-Cheat).

O ESPN Esports Brasil teve acesso a parte de um email enviado pela desenvolvedora do FPS à organização do campeonato falando sobre os ocorridos, deixando claro que as equipes participantes do CBCS Elite que desistiram do torneio por conta de denúncias de jogadores inelegíveis perderão pontos para esse evento.

"No que diz respeito às equipes individuais, se eles participaram com um jogador inelegível, eles perderiam seus pontos para aquele evento RMR (como se tivessem sido desqualificados). Eles poderão inscrever um novo elenco para o próximo evento", diz o comunicado.

Além do campeonato em andamento, a segunda temporada da CBCS Elite, que ainda não tem data definida para acontecer, também contará pontos na caminhada até o campeonato mais importante do ano.

As organizações ficaram sabendo do possível envolvimento de seus jogadores com essas contas banidas previamente através de denúncias. Segundo a própria organizadora da CBCS em resposta ao ESPN Esports Brasil, os jogadores de cada equipe não foram avaliados para checar se existia algum tipo de infração que os impossibilita de participar do campeonato uma vez que não existe uma forma de fazer isso com todas as contas.

“A garantia de que os jogadores estão aptos a competir em um campeonato deve vir por parte das próprias equipes, porém, hoje não existem formas de avaliar e validar a situação de todas as contas de um jogador. Todos os casos surgiram a partir de denúncias e essas foram encaminhadas para uma validação formal”, comenta a organização.

Para o futuro da competição, por conta da inexistência de uma ferramenta para fazer essa checagem em torneios futuros, ainda não existem planos para que essas ocorrências sejam evitadas. “Infelizmente hoje não há maneira de prevenir esse tipo de acontecimento, nem por parte dos organizadores nem para os times”.

A participação de jogadores que receberam esse tipo de punição nos últimos cinco anos em eventos oficiais da desenvolvedora é proibida pela mesma. Anteriormente, a proibição era aplicada a todos aqueles que de alguma forma foram banidos pelo sistema independente de quando o banimento aconteceu.

No entanto, recentemente a Valve remodelou essa regra tornando-a um pouco mais flexível e limitando a punição apenas para caso o incidente tenha acontecido nos últimos cinco anos ou se tenha sido recebido a qualquer momento após sua primeira participação em um evento patrocinado pela Valve.

Sobre as equipes que tiveram de deixar o CBCS Elite por conta das denúncias, a organização da CBCS deixou claro que: “Todos os times poderão participar das próximas etapas do circuito e não perderão seus pontos no ranking do CBCS. Vale lembrar que o CBCS Elite League Season 2 também será RMR, portanto, nessa etapa, teremos vigente as regras de um evento RMR”.

A reportagem do ESPN também procurou saber se os times que foram desclassificados poderão participar de eventos futuros e, segundo a CBCS, "ainda estamos aguardando um posicionamento da Valve”.