<
>

O Efeito VALORANT: Como o jogo caminha lentamente em direção ao sucesso

Valorant é o mais novo título da Riot Games Divulgação/Riot Games

Ainda que seu lançamento tenha sido recente e o cenário competitivo ainda esteja se desenvolvendo, Valorant vem andando lentamente em direção ao sucesso.

Com o passar do tempo, o jogo vem mostrando evolução no âmbito competitivo e ouvindo sua comunidade, tendo assim um grande potencial para se tornar um dos principais no cenário de esports, podendo no futuro bater de frente com seu principal concorrente CS:GO, título desenvolvido pela Valve.

DESENVOLVENDO O CENÁRIO COMPETITIVO

O sucesso inicial do jogo fez com que além de empresas e organizações, até mesmo personalidades do cenário se envolvessem mais com o desenvolvimento deste aqui no Brasil, como fez o ex-jogador profissional e atual streamer Rakin.

Por meio da Copa Rakin, que já está em sua terceira edição, o jogador vem fomentando o cenário através de campeonatos com grandes jogadores e influenciadores.

A famosa Gamers Club, conhecida como uma das maiores plataformas de esports no Brasil, também faz parte desse desenvolvimento com o GC Ultimate, série de campeonatos que fizeram parte da Série de Ignição - parceria da desenvolvedora com organizações a fim de desenvolver o cenário competitivo.

Seis meses após seu lançamento, teremos o evento principal do First Strike, primeiro campeonato de Valorant organizado pela própria Riot Games. Assim como aconteceu com o CBLoL em setembro, o campeonato será realizado presencialmente com os mesmos cuidados tomados pela empresa naquela ocasião para proteção contra o novo COVID-19.

O campeonato será o primeiro do FPS a acontecer em formato presencial no Brasil. Com isso, os jogadores se enfrentarão nos estúdios da Riot Games e poderão mudar completamente o ranking de melhores equipes.

Em menos de seis meses, o jogo já teve mais de 1,331 campeonatos segundo o site Liquipedia e contou com o patrocínio e organização de grandes marcas como Omo, AOC, ESL, BMW e muitas outras. No total, os campeonatos de Valorant já premiaram mais de 2 milhões de dólares desde seu lançamento.

Além dos diversos campeonatos realizados, o jogo também vem chamando atenção de grandes organizações de esports no Brasil e no mundo todo, como paiN Gaming, RED Canids, Vivo Keyd, TSM, T1, G2 e outras.

OS NÚMEROS

Antes mesmo de ser lançado, o novo título da Riot Games já alcançava marcas impressionantes. Durante o beta fechado do shooter, aproximadamente três milhões de jogadores diários testaram o novo jogo, segundo a própria desenvolvedora.

Em sua fase beta, o sucesso do jogo foi tanto que em suas primeiras horas conquistou novos recordes na plataforma de streaming Twitch.

O novo shooter quebrou o recorde de horas assistidas em uma única categoria de jogo, além de ultrapassar o pico de 1,7 milhão de espectadores simultâneos e estabelecer um novo recorde com 34 milhões de horas assistidas.

Apesar dos ótimos números em seus primeiros meses, os números na plataforma vêm caindo. Segundo dados divulgados pelo site Esports Charts, o jogo teve uma queda de aproximadamente 87 mil horas assistidas em outubro.

O First Strike que acontece em dezembro será o dia em que a popularidade do jogo desde seu lançamento será colocada à prova.

Mesmo com todas as expectativas criadas em cima do jogo, é inegável que parte do sucesso que o jogo alcançou até hoje seja por conta da transição de jogadores famosos em outros títulos, como Murizzzzz do Overwatch ou Xand do CS:GO, e outros profissionais para o jogo.

NOVAS HISTÓRIAS SENDO CONTADAS

Valorant - em uma visão competitiva e profissional - serviu também para contar novas histórias; e não só de novos profissionais, mas principalmente daqueles que buscam um recomeço.

Esse é o caso de Letícia Motta. Nos últimos anos, a jovem de 25 anos buscou ferrenhamente com seus talentos como analista e comentarista um espaço dentro do cenário competitivo de League of Legends.

Anunciada como convidada fixa do programa semanal de League of Legends ‘Depois do Nexus’, apesar de todo seu talento e dedicação Letícia não conseguiu chegar a mostrar suas habilidades na elite brasileira do jogo. Mas tudo isso mudou com a chegada do novo título da Riot Games.

“Eu pensei que um cenário novo estava surgindo, a Riot é uma empresa maneira e segura então eles vão fazer algo legal com o Valorant também e eu tava me divertindo muito com o jogo, então foi todo um combo de coisas que me levaram a tomar essa decisão”, revela a comentarista sobre a transição para o FPS.

Se dedicando ao novo título desde seu lançamento e deixando o League of Legends um pouco de lado, Letícia se tornou uma das principais vozes e faces quando pensamos no cenário competitivo brasileiro do jogo.

Hoje, a comentarista participa de grande parte dos campeonatos brasileiros do jogo e fará parte da equipe de transmissão do First Strike.

“A vida é assim, você vai explorando lugares que você às vezes achava que não ia render tantas coisas. Eu não sabia há dois anos atrás que eu ia estar aqui hoje e que ia estar feliz [...] Acho que o Valorant apareceu para me dar uma oportunidade de verdade no cenário”, reflete.

A história de Letícia Motta é apenas uma de muitas que estão sendo reescritas dentro do Valorant, seja de jogadores, treinadores, narradores e comentaristas. O jogo os recebeu de portas abertas e os deu uma nova oportunidade de brilhar.

“Não foi fácil, mas no final das contas eu fiquei feliz. Eu me encontrei”, finaliza.

E assim como Letícia, a passos lentos e sem muita pressa, Valorant vem tentando se encontrar em meio dos maiores títulos de esports para se juntar a eles no topo.