<
>

Com Tribo to Major, BOOM garante seu sétimo título consecutivo no Brasil

A final do Tribo do Major, realizada nesta segunda-feira (13), marcou o fim do segundo campeonato RMR da América do Sul, que funciona como classificatório por pontos para o próximo campeonato mundial, adiado devido a crise do COVID-19. Confirmando o favoritismo, a BOOM levou o troféu da competição, ao derrotar a Sharks por 2 a 0, na Vertigo (16-3) e Dust 2 (16-9).

O torneio contou com a participação de seis times, com as quatro melhores do ranking RMR (BOOM, Isurus, Imperial e RED) e duas equipes decididas através de um qualificatório aberto (Sharks e Vivo Keyd).

Mesmo com a ausência de Apoka, treinador da equipe, a BOOM terminou a fase de grupos do campeonato com apenas um mapa perdido, na sua estreia contra a Isurus, principal concorrente na disputa da única vaga ao major.

Completamente dominante, a equipe chegou invicta em séries para os playoffs, derrotando a RED Canids nas semis e se manteve até a final, onde derrotou a Sharks, sem perder nenhum mapa na fase eliminatória da competição, com placares elásticos nas duas séries decisivas.

RANKING REGIONAL DO MAJOR

Com a vitória da BOOM no Tribo do Major, a equipe ganhou 2500 pontos, chegando ao total de 4100, se mantendo na liderança e abrindo uma vantagem de mais de 1000 pontos para a Isurus, que ganhou 2188 pontos. Sharks, vice campeã do evento, ganhou 2344 pontos pela colocação e apareceu pela primeira vez no ranking regional, ficando com a quarta colocação e se aproximando dos adversários na disputa pela primeira colocação.

Vale destacar que a região da América do Sul conta com apenas uma vaga para o próximo major.

Confira abaixo o ranking regional da América do Sul para o próximo Major após a realização do Tribo do Major:

2020 para a BOOM

Desde sua chegada ao Brasil, o time da BOOM não sabe o que é perder. A escalação com boltz, chelo, yel, shz e felps começou a trilhar seu caminho vencedor na ESL One Road to Rio, primeiro classificatório da América do Sul para o Major, que seria realizado na cidade maravilhosa.

No mês seguinte após sua primeira conquista, a equipe enfileirou títulos com CBCS: The Rising, Clutch, GC Masters V, Esportsmaker Invitational, ESL Pro League SA e o recente Tribo to Major, conquistando alguns de maneira invicta, sem perder ao menos uma série. Vale destacar que no último campeonato o time não pode utilizar seu técnico Apoka dentro de jogo, punido pela ESIC no caso que ficou conhecido como “bug do coach”.