<
>

Para criar 'eventos ainda mais espetaculares', ESL e DreamHack se fundirão

A ESL e a DreamHack, duas das maiores organizadoras de eventos de esports, anunciaram nesta quarta-feira (30) que se fundirão. A nova empresa será conhecida como ESL Gaming, com a Modern Times Group (MTG) como seu acionista majoritária.

A DreamHack continuará a ser o nome da série de eventos que se estende pela Europa e América do Norte, mas será operada agora por um grupo de líderes. Esta liderança é chefiada pelos CEOs da ESL, Ralf Reichert e Craig Levine, e o CEO da DreamHack, Marcus Lindmark, que permanece para operar os eventos de grande escala dos quais é o principal executivo desde outubro de 2014.

"Por meio da cooperação e colaboração, e da fusão de algumas das melhores mentes criativas e visionárias da indústria de jogos, vamos, juntos, avançar na inovação por meio dos produtos e eventos de qualidade", disse Levine em um comunicado à imprensa. "Para nossos parceiros, haverá mais oportunidades de interagir conosco por meio de uma gama mais ampla de ativações em todos os níveis de esportes eletrônicos e em todos os aspectos dos games. E para nossos fãs, isso significa que ofereceremos um portfólio mais amplo de esportes eletrônicos e estilo de vida".

Desde que a MTG adquiriu uma participação majoritária da ESL e a propriedade da DreamHack em 2015, as duas empresas têm operado de forma relativamente independente - com a ESL focada em seus eventos Intel Extreme Masters e ESL One, bem como uma série de outras ligas profissionais em vários títulos; e a DreamHack, focada principalmente nos torneios que carregam seu nome. No entanto, nos últimos dois anos, as duas empresas começaram aos poucos a compartilhar mais recursos e a se apoiarem uma na outra para crescer em suas respectivas áreas.

Combinados, eles são o maior organizador de torneios de esportes eletrônicos e um dos poucos principais que não pertencem a desenvolvedores de jogos ou equipes participantes. A MTG é uma empresa de capital aberto na Suécia, com ações negociadas à 125,10 coroas suecas (US$ 13,86) por ação nesta quarta-feira (30).

"DreamHack sempre reuniu comunidades e criou uma experiência definitiva de estilo de vida em jogos para nossos fãs ao redor do mundo", disse Lindmark em um comunicado. "Isso não vai mudar - mas combinando nossos recursos com a ESL, podemos transformar esses eventos em algo ainda mais espetacular. Quer sejam os novatos ou os participantes de longa data, sempre oferecemos algo para todos, apresentando tudo o que há de melhor. Com a ESL, seremos capazes de oferecer uma abordagem mais personalizada para nossa comunidade e nossos parceiros em todas as regiões por meio de uma variedade de oportunidades de jogos e esportes eletrônicos, ao mesmo tempo em que criamos experiências marcantes e memoráveis. O futuro dos jogos é agora, e estamos entusiasmados para criá-lo juntos".

Embora nenhuma empresa possua direitos exclusivos para nenhum título, a ESL e a DreamHack sediaram eventos de Counter-Strike: Global Offensive, StarCraft II, Hearthstone, Super Smash Bros., Street Fighter, Rainbow Six: Siege e outros. Antes da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), as duas empresas haviam fechado um acordo para realizar uma série de eventos de Hearthstone denominados Hearthstone Masters Tour.

A ESL fechou um acordo semelhante com a Activision Blizzard para StarCraft II e WarCraft III, projetando um Pro Tour que deveria incluir uma série de eventos presenciais antes que eles parassem pela pandemia. Tanto a ESL quanto a DreamHack sediaram campeonatos importantes para a Valve de Counter-Strike e Dota 2.

Nos últimos anos, a DreamHack - um dos maiores festivais de música e jogos da Europa - teve como objetivo a expansão na América do Norte, sediando eventos em Atlanta, Dallas, Denver, Las Vegas, Montreal, Austin, Texas e Anaheim, na Califórnia. Seus eventos europeus têm sido um marco no cenário de jogos e música por mais de duas décadas, incluindo o Mundial de League of Legends edem 2011, dentre outros.

Texto originalmente publicado em ESPN Esports.