<
>

LoL: Parceria da LEC com cidade futurista na Arábia Saudita gera repúdio de casters e da comunidade

Visão arquitetônica de NEOM, cidade na Arábia Saudita Divulgação

A LEC, liga europeia de League of Legends, anunciou nesta quarta-feira (29) patrocínio da NEOM, cidade-estado futurista que será construída com mais de 500 bilhões de dólares. Casters e figuras do cenário europeu se posicionaram contra a parceria, repudiando o projeto.

“Eu não consigo expressar o quão frustrado e desapontado eu estou com a LEC hoje”, disse Medic, comentarista da liga, em seu Twitter. “Houve muitos bons dias para ser um membro do time da LEC, e hoje não é um deles”, afirmou o narrador Drakos.

Na terça-feira (28), a empresa de esports BLAST também anunciou parceria com a NEOM. Em comunicado oficial, a empresa saudita afirmou que tem como objetivo fazer com que a NEOM se torne um polo mundial de desenvolvimento da área de esports.

NEOM E A ARÁBIA SAUDITA

A NEOM é um projeto de cidade e zona econômica futurista no Oriente Médio com mais de 26 mil km², que contará com tecnologia de ponta para garantir um estilo de vida “ideal” a moradores e turistas. O projeto tem apoio do governo da Arábia Saudita e tem como projeto complementar sua economia com desenvolvimento sustentável de setores como energia, água, mobilidade, biotecnologia, alimentação, mídia, entretenimento, entre outras áreas.

O jornal britânico The Guardian reportou no último mês de maio que o empreendimento bilionário tem desabrigado milhares de nativos da tribo Huwaitat, que tem cerca de 20 mil pessoas vivendo em parte do território que será apropriado pela empresa.

Em Abril de 2020, o ativista Abdul Rahim al-Huwaiti foi encontrado morto após declarar publicamente durante meses apoio aos nativos de sua tribo, que tiveram seu território tomado pela NEOM. Em vídeos, Rahim relatava que a empresa deportava nativos e prendia os que recusavam o dinheiro da NEOM, opondo-se a deixarem suas casas.

Outros membros de seu movimento filmaram uma abordagem policial à casa de Abdul Rahim al-Huwaiti, e as autoridades do país afirmaram que ele foi morto em um tiroteio com a polícia local.

Grande parte das críticas promovidas pela equipe da LEC e por fãs é sobre a absoluta intolerância com a população LGBT na Arábia Saudita. Direitos LGBT não são reconhecidos pelo governo, e o país historicamente puniu atos de homossexualidade com prisão, deportação e execução, em alguns casos — ou seja, ser LGBT é crime na Arábia Saudita.

LEC E NEOM

No anúncio oficial da parceria, a LEC define a NEOM como uma comunidade que “será a casa e o local de trabalho de milhões de cidadãos ao redor do mundo que quiserem fazer parte da construção de um novo modelo de vida sustentável na Arábia Saudita”. O comunicado oficial descreve o projeto citando a criação de cidades, portos e zonas econômicas, além de atividade turística.

O apoio à LEC acontecerá na transmissão ao vivo, patrocinando o quadro Oracle Lens. A parceria já terá vigência na Semana 7 do campeonato, que começa nesta sexta-feira (31).