<
>

Para Zmb, Alma não está atrás dos outros times do Clutch: 'Dentro do jogo trocamos de igual para igual'

Zmb foi o grande nome da Alma contra Detona Rafael Veiga / Draft5

Se teve um resultado na segunda semana do Clutch 2020 que surpreendeu a todos, este foi o empate entre Alma e Detona. Antes das duas equipes se enfrentarem, grande parte da comunidade dava como certa a vitória dos Pitbulls. Mas com uma monumental virada protagonizada pela equipe de Zmb na Train, a série terminou em 1 a 1, que na opinião do jogador mostrou que o time tem a força necessária para bater de frente com todos os outros participantes da liga de Counter-Stirke: Global Offensive.

Ao ESPN Esports Brasil, Zmb comentou que a Alma conseguiu "evoluir muito" da rodada de abertura para a segunda. Na opinião do jogador, o diferencial apresentado pela equipe contra a Detona foi "a mentalidade de não se abalar" que ele e os companheiros conseguiram desenvolver após a derrota sofrida na estreia para Isurus: "Foi o que mudou em relação a semana passada, de nós encararmos todo mundo de frente".

"No jogo, a gente troca de igual para igual. A diferença, agora, foi a gente ter conseguido desenvolver essa mentalidade de não se abalar porque o psicológico é o mais importante. Não importa se você treina bem, mas sim na hora do jogo. O jogo é jogado e qualquer um pode ganhar. Nessa série a gente começou a Train falando 'esquece que é a Detona, mas um adversário normal'", pontuou.

Analisando a série, Zmb disse que a Alma começou Inferno mal mas que conseguiu empatar até que o time perdeu um round que não poderia. "Jogamos mal os primeiros rounds e a Inferno é um mapa que se um time começa mal, é difícil voltar. Até conseguimos, mas depois que perdemos um round econômico deles, impactou muito o jogo. Foi virando uma bola de neve. Eles voltaram ao jogo e a gente não. Nossa última esperança era ganhar o pistol de CT, o qual também perdemos", afirmou.

A derrota não abalou o jogador, que chamou a responsabilidade de manter o moral dos companheiros em alta: "Comecei bem inspirado na Train e falei para o restante do time que eu não queria voltar para casa perdendo porque a gente ia ficar duas semanas e meia sem jogar. Fizemos 8 a 7 de CT e estávamos jogando bem. Mas não é um placar muito bom e o jogo acabou ficando 15 a 11 para eles. Tínhamos uma última chance, quando falei que íamos ganhar o jogo. Mantivemos o psicológico, que foi o nosso diferencial em relação a semana anterior".

Equipe que ficou com a segunda vaga para o Clutch destinada ao Circuito Dell, Alma é uma das quatro estreantes nesta edição da liga. Contudo, o time não é apontado como uma das forças deste grupo, ficando atrás de Bravos e Vivo Keyd. Opinião esta que Zmb e os companheiros podem quebrar mostrando resultado, segundo o jogador.

Zmb classificou como imperdível a oportunidade que o Clutch está dando a ele e os companheiros: "É uma grande chance para nós crescermos". Mas nas últimas semanas este não foi o único torneio o qual a equipe participou. Alma também esteve presente nas seletivas para Flashpoint e Major, as quais na opinião do jogador "serviram para identificarmos nossos erros e percebemos que o maior era o psicológico".

Para o futuro da equipe no Clutch, Zmb afirmou de forma categórica que "agora temos que ganhar esses times, manter o nível e melhorar para começarmos a ganhar torneios. Não importa se você é o último ou o segundo colocado. Você tem que ser o campeão, ganhar de todo mundo e ficar melhor do que todos".