<
>

Punição de cvMax é adiada e Riot promete investigação 'mais transparente'

Antes punido, cvMax recebeu perdão temporário da Riot Games Akshon Esports

Suspenso indefinitivamente de todas as competições de League of Legends promovidas pela Riot Games, no início deste mês, o ex-treinador da Griffin, cvMax, recebeu um perdão temporário da desenvolvedora nesta terça-feira (27) até a realização de uma nova investigação ‘mais transparente’.

A desenvolvedora decidiu por adiar a punição do profissional após o clamor que surgiu na comunidade sul-coreana a favor do treinador. Uma petição online com mais de 200 mil assinaturas, inclusive, foi enviada ao governo daquele país com a finalidade de que a punição fosse revista.

"Entendemos o fato de que não conquistamos a confiança da comunidade e, por isso, decidimos adiar a punição que demos ao cvMax até novo aviso. Com relação a esse assunto, também solicitaremos uma nova investigação a uma agência terceirizada que tenha autoridade judicial, mas também confiança pública", comunicou a Riot Games.

A Riot Games prometeu que "não apenas o processo de investigação será transparente, como também emitiremos uma decisão final, levando em consideração os dois lados da história. Tomaremos as medidas necessárias para garantir que haja o mínimo de conflito possível entre todas as partes".

A desenvolvedora ainda explicou que, na época em que a suspensão de cvMax foi revelada, os responsáveis pela decisão possuíam "evidências detalhadas em mãos, mas que por causa do quanto explícito era o conteúdo, achamos que revelar as informações poderia causar mais danos não só ao cvMax, como também aos jogadores".

Atualmente a frente da comissão técnica do DragonX (antigo Kingzone DragonX), cvMax foi suspenso por maus tratos aos integrantes da Griffin. Na época, o ex-diretor da organização Cho Gyu-nam sofreu a mesma sanção do treinador por suposto tratamento indevido da transferência do caçador Kanavi para a JD Gaming, enquanto o clube sul-coreano foi multado em cerca de R$360 mil por todo o ocorrido.

As punições, em especial a dada a cvMax, provocaram uma forte resposta do membro da Assembléia Nacional da Coréia do Sul, Ha Tae-kyung, que têm se pronunciado nas redes sociais desde que Riot e KeSPA abriram a investigação, em outubro de 2019.

Antes da divulgação da investigação, Ha divulgou na terça-feira (19) uma declaração de suas descobertas, que incluía alegações de que a Griffin atribuiu a representação judicial dos jogadores a um escritório de advocacia chamado VEAT, que também presta auxílio jurídico exclusivo à Griffin.

A VEAT representou Kanavi — sem seu conhecimento explícito — como resultado de um contrato que assinou com Griffin. Em sua declaração, Ha alegou que a Griffin forjou um selo da empresa, com Ha compartilhando várias fotos de um selo legítimo e o encontrado neste contrato.

Ha alega que a Riot puniu injustamente cvMax, que Ha argumenta que deveria ser protegido pela Lei da Coréia do Sul sobre a Proteção dos Denunciantes de Interesse Público. Nos últimos dois meses, Ha pediu uma ação da Assembléia para investigar o papel da Riot e da KeSPA, dada sua proximidade e interesse em proteger as equipes participantes. Ele também tem sido muito vocal sobre o assunto publicamente.

"Os resultados foram chocantes", disse Ha em uma reação à decisão da Riot, traduzida pela ESPN. "Não apenas Cho, mas também cvMax, a pessoa que expôs a corrupção e o absurdo, também está sendo suspenso indefinidamente. Esse é um ato claro de vingança contra o denunciante. A Riot, ao tomar uma ação de vingança contra um denunciante, pode ser punida".

"Se não fosse pelo ato corajoso de cvMax, o caso do contrato absurdo de Kanavi e as ameaças teriam permanecido debaixo do tapete. Ele é um denunciante corajoso. O CvMax é alguém que deve ser protegido e recompensado, e não punido e vingado".

No dia 12 de novembro, Cho renunciou ao cargo de diretor da Griffin em meio a investigações e críticas de membros da Assembléia Nacional. Em entrevista ao Sports Chosun, no dia em que ele renunciou, Cho contestou as alegações de cvMax contra ele e disse que pretende processar o técnico.

Semanas antes do Campeonato Mundial de League of Legends deste ano, em que a Griffin se classificou para as quartas de final, cvMax foi dispensado de suas funções como treinador da equipe. Antes da suspensão, foi anunciado que cvMax havia sido contratado pela DragonX, da LCK, para a temporada 2020.