<
>

O legado nas transmissões da LCK e o futuro de PapaSmithy na 100 Thieves

Christopher "PapaSmithy" Smith tem sido a voz em inglês de League of Legends na Coreia do Sul Divulgação/Riot Games

Christopher "PapaSmithy" Smith é famoso por fazer grandes movimentações no mundo dos esports. Primeiro, ele trocou uma carreira como psicólogo escolar por um microfone de caster. Agora, ele está trocando a carreira na frente das câmeras para ser o gerente geral da 100 Thieves.

Mas antes de tudo, vamos voltar ao início - no oeste da Austrália.

Enquanto trabalhava como psicólogo, Smith ficou apaixonado pelo mundo dos esports, especificamente por League of Legends. Eventualmente, ele tentou a sorte no mundo dos comentários amadores, que rapidamente se transformou em uma paixão que tomou conta de seu cotidiana.

"[Comentar] começou a ocupar todos os meus pensamentos", disse Smith. "Eu realmente queria ver se poderia alcançar um nível onde faria disso meu emprego. Parei de trabalhar e investi tudo para tornar minha carreira viável".

A decisão de Smith de apostar tudo nos esports acabou sendo a correta. Ele foi contratado pela Riot Games Oceania para comentar tanto a liga australiana local quanto a liga doméstica chinesa. De lá, ele foi contratado em tempo integral pela empresa de televisão a cabo sul-coreana OGN e mudou-se para Seul no meio de 2015 para fazer parte da League Champions Korea, a região mais dominante do mundo na época.

PapaSmithy foi o centro das atenções no final de 2016, quando a dupla formada por Christopher "MonteCristo" Mykles e Erik "DoA" Lonnquist, saiu da OGN para formar a Overwatch League em Los Angeles.

Rapidamente, PapaSmithy se estabeleceu como o rosto do League of Legends sul-coreano por não perder um dia de comentários - de 15 de agosto de 2017 a 25 de janeiro de 2019: 530 dias. Por causa da falta de outro comentarista na equipe, ele fazia seu trabalho mesmo doente ou cansado, consolidando seu status de "homem de ferro" ao comentar jogos de seus times favoritos.

Depois de comentar a final do campeonato mundial em Incheon, Coréia do Sul, para encerrar a temporada de 2018, considerado o auge de um comentarista de League of Legends, os mesmos pensamentos que o levaram a deixar a psicologia na Austrália para entrar no mundo dos esports voltaram.

Qual era o próximo passo?

Ele cumpriu seu objetivo de fazer uma carreira com comentários no esports, criou uma série de transmissão que nunca será superada e esteve na transmissão da final do campeonato mundial no país que ficou famoso.

Para Smith, a ideia era criar algo que durasse para sempre nos esports. Embora a elaboração de narrativas para jogadores e equipes na transmissão fosse significativa para ele, isso o deixou dúvida. Ele se aprofundou na criação de conteúdo em seu próprio canal no YouTube e na Twitch, analisando os jogos do League of Legends de todo o mundo, e se viu ansioso para se desvencilhar de sua posição robusta como o rosto da LCK no Ocidente.

"Eu tenho procurado uma direção futura que me permita usar minhas experiências para criar algo no esports, porque é o campo no qual me sinto melhor", disse Smith. "Ele ocupa meus pensamentos de quase todos os minutos de todos os dias. ... Essa realidade cotidiana de ser um GM é animadora. Não haverá cortinas para me esconder atrás. Estarei colocando coração e alma em uma coisa e poderei ser julgado pelas massas. Tomara que eu consiga criar algo especial".

Ao decidir para onde ir, ele confiou em amigos que passaram pelo mesmo processo de deixar um legado para trás e perseguir outro. Um desses, em particular, foi Martin "Deficio" Lynge, que passou de um famoso comentarista da principal liga doméstica da Europa, a LEC, para ser o gerente geral da Origen. Na primeira temporada de Deficio com seu novo time, eles chegaram à final, perdendo para a G2.

Quando perguntado sobre o que tornou a posição de gerente geral muito forte para deixar passar, PapaSmithy retransmitiu o fato de que a oportunidade foi o culminar de sua vida até aquele momento. Não apenas ele poderia usar as habilidades, conhecimentos e relacionamentos que ele criou durante seus quase cinco anos de, mas sua formação em psicologia poderia ser utilizada em seu novo papel. É um casamento dos talentos que ele adquiriu ao longo dos anos.

Smith criou uma chance que a maioria das pessoas na vida não recebe - uma chance de criar algo que resistirá ao teste do tempo.

"Chris Smith é um dos analistas mais respeitados do setor de esports", disse Jacob Toft-Andersen, vice-presidente de Esports da 100 Thieves para a ESPN. "Sua formação o torna mais do que qualificado para ser o gerente geral da nossa equipe de LoL e sua visão para o futuro está alinhada com o que a 100 Thieves está tentando alcançar."

Atualmente, enquanto Smith se prepara para se despedir, o cenário sul-coreano está prosperando, com organizações como a SK Telecom T1 gastando muito dinheiro para manter os melhores talentos do país por lá. Novas organizações como Griffin surgiram no ano passado e seguiram o exemplo. Em vez de um êxodo, há um ressurgimento na liga que despertou o amor de Smith por League of Legends no começo de tudo.

No momento, a transmissão de despedida de Smith está marcada para 11 de setembro, onde uma equipe será rebaixada para as ligas menores e uma equipe será promovida para a LCK 2020. Para o que vem depois em termos de comentários, especificamente os próximos campeonatos mundiais na Europa, essas são decisões a serem tomadas dentro da organização 100 Thieves com a Riot Games.

E embora ele esteja se mudando para a América do Norte no início do próximo ano para ser totalmente integrado à 100 Thieves, a possibilidade de uma participação nos estúdios da LCS não está fora de questão - Deficio fez participações especiais na transmissão da LEC.

Ele pode estar se mudando para um novo capítulo de sua carreira, mas se faz sentido que todas as partes envolvidas nunca digam nunca.

"Obviamente, no início, espero estar bastante focado na organização", disse Smith. "Não sei se o primeiro dia da LCS faria sentido para qualquer parte, mas é definitivamente algo a que estou aberto a fazer. Só porque o envolvimento na transmissão definitivamente será reduzido no futuro, não vai ser a minha prioridade, ainda é algo que eu amo fazer, e se os fãs me quiserem, estarei disposto se fizer sentido para todo mundo."

Além de tudo, porém, através das histórias de seu passado e de suas visões do futuro, o objetivo de PapaSmithy é claro.

Ele não está deixando a Coreia do Sul sem motivo.

Ele quer construir. Ele quer criar. Ele quer deixar uma marca no cenário que mudou sua vida para sempre.

"Eu quero tornar a 100 Thieves uma organização da qual a América do Norte terá orgulho".