<
>

brTT comenta "final antecipada" contra KaBuM e retomada da liderança com Flamengo

brTT, do Flamengo, na sexta semana do CBLoL 2019 Segunda Etapa Riot Games Brasil

O Flamengo reassumiu a liderança na tabela do CBLoL após vitória contra a KaBuM no último domingo (7), em que empataram com os ninjas no primeiro lugar, com 9 vitórias e 3 derrotas. O jogo marcou o início de uma definição do placar do campeonato, em que os dois times dividem a dominância sobre um meio de tabela incerto.

Em entrevista ao ESPN Esports Brasil, o atirador do Flamengo, brTT, afirmou que concorda, em partes, que a disputa tenha sido uma final antecipada. “Eu diria que são dois times favoritos a chegarem em uma final, mas tem bastante campeonato, ainda. Pode ser que um dos times piore ou melhore muito”, diz.

O jogador diz ainda que a retomada da liderança faz bem para a confiança e o psicológico do time do Flamengo. “É muito bom (...) sair com essa vitória contra a KaBuM, que é uma adversária direta, que a gente tem certeza que vai chegar nos playoffs e que provavelmente vamos enfrentar em algum momento”, afirma. “Poder sair com essa vitória aumenta a confiança e pode melhorar bastante a vibe dos treinos nessa semana”, comenta.

Questionado sobre se algum outro time pode brigar pela dominância ao lado dos dois líderes, brTT aponta que, caso se recupere, a paiN é uma candidata. “Se eles se reencontrarem, acho que eles podem chegar muito forte nos playoffs. Mas não vejo nenhum outro time que esteja vindo forte. Acho que INTZ e Redemption estão em um momento ruim. A paiN é a que tem mais chance”, opina.

ESTILO DE JOGO

O atirador aponta Luci, suporte coreano do time, como importante para o Flamengo por conta de sua agressividade, e concorda que seu retorno traz proatividade ao time. “Ele é um jogador muito comunicativo, cria jogadas, é proativo. A volta dele faz com que o time seja muito mais agressivo e não observe o jogo rolar, o tempo passar. (...) Acho que esse é o principal diferencial”, diz.

“Eu diria que nosso time é um dos únicos que consegue impor esse estilo de jogo agressivo, proativo, que cria jogadas e não observa apenas o adversário terminar a partida. Ainda temos que melhorar bastante esse quesito de terminar o jogo, setar melhor o barão e tentar finalizar o jogo mais rápido”, revela.

“A gente tá trabalhando muito nisso. Acho que é um dos únicos pontos em que a gente tem que melhorar mais. A gente já é um time muito proativo, que cria bastante jogadas”, afirma brTT.

DISPUTA CONTRA KABUM

A md1 contra a KaBuM foi marcada por um jogo caótico, com placar total de 51 abates. De acordo com o atirador, a métrica não é preocupante por conta da proposta do rubro-negro no jogo. “Nossa composição de beneficiava muito em jogos caóticos”, revela, apontando a escolha de Shen, Taliyah, Irelia, Kalista e Nautilus.

“São campeões muito fortes em skirmish, em 3v3”, comenta. “Skirmish” é uma expressão para lutas pequenas, como 2v2 ou 3v3 — o foco do Flamengo naquela partida. “Eles estarem entrando no jogo caótico era bom para a gente. Foi mais questão de execução, mesmo, porque estávamos errando bastante.”

brTT cita o dive na rota inferior que o Flamengo tomou no início do jogo como algo que atrasou a condição de vitória de seu time. “Se a gente não tivesse cometido esses erros, o jogo teria sido muito limpo. Por mais que tenha mais abates, não tem problema, por conta da nossa composição”, finaliza.