<
>

Para se aproximarem dos fãs, organizações investem pesado nas redes sociais

Criativas, organizações fazem de tudo para se aproximarem dos próprios torcedores Riot Games

Diferente do que acontece em boa parte das modalidades dos esportes tradicionais, nos esportes eletrônicos a interação entre equipe e torcida é quase que totalmente feita nas redes sociais.

São poucas as oportunidades que os aficionados têm de assistir presencialmente os clubes para os quais torcem. Para diminuir essa distância e não deixar os fãs “órfãos”, as organizações brasileiras investem pesado em criação de conteúdo, grupos com os admiradores e até programa de sócio-torcedor.

SG e-sports e Black Dragons e-Sports foram os últimos clubes a trazerem novidades para os próprios fãs. As duas organizações criaram programas de sócio-torcedor.

Uma das referências do País no Dota2, a SG moldou o próprio programa no padrão que é utilizado por clubes de futebol. A categoria de sócio-torcedor já anunciada é a SG Army, que dará ao assinante desde a possibilidade de visitar a gaming house da organização, descontos em produtos oficiais e até um cartão físico, personalizado e numerado. Clique aqui para maiores informações.

Já a Black Dragons, duas vezes vice-campeã mundial de Rainbow Six Siege, utilizará o site de financiamento coletivo Padrim para seu programa “sócio-torcedor”, que dá aos seus seguidores benefícios como sorteios, convite para um grupo fechado no Facebook, participação em eventos com a equipe, dentre outros.

Ao ESPN Esports Brasil, um dos sócios da Black Dragons, Denis "Pings" Vidigal afirmou que "a intenção [da organização] era agradar todos os fãs e bolsos, pois pedidos de nossos fãs exigiam um custo maior, como produtos e encontros com nossos jogadores. Assim, dividimos em vários níveis”.

A iniciativa não é inédita no Brasil. Em setembro de 2016, a paiN Gaming lançou programa parecido, que recebeu o nome de “Melhor Torcida do Mundo”.

Ao ESPN Esports Brasil, com exclusividade, a organização informou que o programa chegou ao fim no início do ano seguinte, porém os torcedores que se associaram de forma remunerada foram reunidos num "grupo especial no Facebook", que conta com a presença de 160 membros, onde todos possuem "acesso aos conteúdos da organização de forma antecipada".

BASTIDORES E ROTINAS

Vídeos que revelam os bastidores e mostram as rotinas de equipes e jogadores são outra alternativa bastante explorada pelas organizações para se aproximarem dos torcedores. INTZ, paiN Gaming, Vivo Keyd e Red Canids são os clubes que exploram com maestria o YouTube.

Completando sete temporadas neste ano, o paiN Responde é uma série que caiu no gosto do público. Perguntas enviadas pela torcida eram respondidas pela equipe de League of Legends do clube. O projeto, inclusive, chegou a ter episódios especiais, abrangendo as formações de outras modalidades da organização.

Outra série que marcou época foi o Behind the Stars, produzida pela Vivo Keyd. A organização registrava, em vídeos, o dia a dia e as experiências vividas pela equipe de League of Legends. Depois de uma pausa, o projeto foi relançado sob a alcunha de Warriors, "um programa semanal que contará a rotina de um jogador profissional de esport, além dos bastidores de uma equipe", destaca o diretor-executivo do clube, Caique Henriques.

No YouTube, as organizações também publicam vídeos com jogadas das próprias equipes e resumos que trazem as principais notícias dos clubes.

GRUPOS: A NOVA TENDÊNCIA

Grupos no Facebook são as apostas do momento das organizações brasileiras. Gradativamente, os clubes vão construindo as próprias “casas virtuais” com o objetivo de reunir os torcedores num único lugar, que acaba proporcionando uma melhor interação entre equipe e fãs, mas também um alcance melhor nas publicações feitas pelas multigaming.

“É um local no qual compartilhamos experiências e sentimos o clima dessas pessoas que são apaixonadas pelo clube”, explica o gerente da CNB e-Sports Club, Ricardo Set, ao ESPN Esports Brasil. O executivo continua dizendo que “nesse grupo podemos contar com opiniões e ter uma participação mais próxima e ativa da torcida em nossas atividades. Queremos crescer e dar passos juntos com todos aqueles que são apaixonados pelo clube”.

QUER INTERAGIR? VÁ PARA O TWITTER

Das inúmeras redes sociais existentes, aquela que é mais utilizada, atualmente, pelas organizações brasileiras é o Twitter. É no microblog que os clubes interagem mais com os próprios torcedores e divulgam praticamente tudo, desde contratações e mudanças nas equipes, até a agenda e os resultados obtidos.