<
>

MotoGP é o primeiro grande esporte que admite cancelar a temporada inteira por causa do coronavírus

play
Federer combate o tédio com novo desafio: um minuto batendo a bolinha de tênis na parede (0:58)

Tenista suíço compartilhou a brincadeira em suas redes sociais (0:58)

A Federação Internacional de Motociclismo e a Dorna Sports anunciaram nesta terça-feira que mais duas etapas do Mundial de MotoGP foram suspensas. São elas: o Grande Prêmio da Itália, inicialmente programado para acontecer no Circuito de Mugello, entre 29 e 31 de maio, e o Grande Prêmio da Catalunha, que aconteceria entre os dias 5 e 7 de junho, em Barcelona.

Em entrevista para a revista Speedweek, o CEO da Dorna, Carmelo Ezpeleta, admitiu que existe a possibilidade de cancelar a temporada inteira do Mundial de Motociclismo.

."Estamos em guerra e é concebível que não tenha um Mundial de Motociclismo em 2020. É importante garantir a segurança e a saúde de todos os envolvidos. Se alguém se infectar em um de nossos eventos, seremos culpáveis para sempre. Também podemos sobreviver se tivermos que cancelar por completo a temporada de 2020. Se tivermos que aceitar esse cenário, no pior do casos, nos prepararemos para a temporada de 2021 em seu devido tempo e de forma consciente".

Com a confirmação do adiamento das etapas da Itália e da Catalunha, todas as oito primeiras corridas do calendário da MotoGP foram adiadas ou canceladas. São elas: Qatar, Tailândia, Estados Unidos, Argentina, Espanha, França, Itália e Catalunha. A próxima corrida no calendário é o Grande Prêmio da Alemanha, programado para acontecer no dia 21 de junho, no Circuito de Sachsenring.

Em nota oficial, a organização da MotoGP afirmou que ainda não é possível estabelecer novas datas para os eventos adiados até que se saiba quando será possível retomar as atividades. A entidade também anunciou que um calendário revisado será divulgado assim que estiver disponivel.