<
>

Por que Corinthians x Palmeiras é a maior final de Brasileiro feminino da história

Corinthians e Palmeiras fazem a partir das 21h (horário de Brasília) deste domingo (26), na Neo Química Arena, o que se pode chamar de “a maior final" de Campeonato Brasileiro feminino da história. E não 'apenas' por opor dois arquirrivais, ser a primeira vez que será disputada por dois times da mesma cidade e colocar frente à frente as duas melhores equipes da competição, mas porque esta edição atingiu um patamar inédito.

Isto em termos de transmissões, patrocinadores e times de ponta brigando lá em cima.

Muitas coisas mudaram desde a primeira edição, em 2013. De lá para cá, a evolução da modalidade dentro de campo foi notável. Diversas equipes foram formadas e houve investimento pesado para que se pudesse haver disputa entre as agremiações e equiparamento de nível.

Em 2017, Conmebol e CBF anunciaram que, a partir de 2019, para participarem no masculino de Conmebol Libertadores e Campeonato Brasileiro, os clubes deveriam manter também o time feminino, o que ajudou muito na evolução da modalidade.

Bancos, empresa de bebidas, aplicativos de automóveis e até companhia do setor elétrico quiseram ter seus nomes estampados nas placas de publicidade dos estádios e investiram para que as edições melhorassem.

Que 'bum' foi esse?

E o 'bum' veio após a visibilidade da Copa do Mundo de 2019. De acordo com a Fifa, IFA, mais de 1,12 bilhão de pessoas acompanharam o Mundial, tanto pela televisão quanto pela internet. As transmissões também aumentaram. O acesso mais fácil, tanto na TV aberta quanto por internet e aplicativos, fez o público se aproximar do futebol feminino.

Segundo a CBF, o primeiro jogo da final deste Brasileiro, em 12 de setembro, atingiu um índice de audiência de 3,6 pontos, o que equivale a mais de 4 milhões de espectadores assistindo simultaneamente apenas na TV aberta.

Agora, em 2021, o Brasileiro feminino contou com 10 equipes profissionais entre as 16 que o disputaram, número recorde desde seu início, há nove anos. Corinthians e Palmeiras estão entre elas.

Corinthians x Palmeiras

Desde sua reativação, em 2016, e a parceria com o Audax, o time alvinegro participou de cinco finais do Brasileiro, tendo vencido em 2018 e 2020, além dos bicampeonatos no Paulista (2019 e 2020) e da Libertadores (2017 e 2019).

Já a equipe palmeirense, que estreou em 2019 após a obrigatoriedade da Conmebol e da CBF, disputará sua primeira final, pois em seu primeiro ano estreou na segunda divisão e em 2020 acabou eliminada nas semifinais justamente pelo Corinthians.

Outro fator que evidencia a evolução do Brasileiro feminino: a CBF recebeu 224 pedidos de credenciamento para esta final. Para se ter uma ideia, o número para a decisão da Copa do Brasil masculina de 2020 foi de 269.

É neste contexto que dois rivais históricos decidirão qual ficará com a taça. O Corinthians, que venceu o jogo de ida por 1 a 0, tenta o tri, enquanto o Palmeiras busca sua primeira taça.