<
>

Palmeiras e Corinthians abrem final do Brasileiro feminino cheios de coincidências e contradições

Palmeiras e Corinthians começam a decidir o Campeonato Brasileiro feminino de 2021 neste domingo (12), às 21h (horário de Brasília), no jogo de ida que será disputado no Allianz Parque. E uma série de coincidências e contradições marca o duelo.

Vamos às coincidências. As duas equipes contam com um superpoder ofensivo, têm ausências importantíssimas e já sabem muito bem o que é uma fase aguda da principal disputa nacional.

Isto porque os rivais têm os melhores ataques da competição: são 45 gols alviverdes contra 44 alvinegros. Mas os dois lados viram goleadoras irem embora antes da decisão.

No Palmeiras, a artilheira Bia Zaneratto (13 gols) não teve seu contrato renovado e voltou para a China; no Corinthians, Gabi Nunes, principal goleadora do time ao lado de Victória Albuquerque (9 tentos cada), foi para o Madrid Club, da Espanha.

De experiência, o Corinthians é uma das principais forças do país no futebol feminino, enquanto o Palmeiras, que retomou o projeto há bem menos tempo, em 2019, já fez semifinal em 2020 (foi eliminado pelo próprio Corinthians) e agora chega à decisão pela segunda vez na história - foi vice em 2000, perdendo para a Portuguesa.

Contradições

De 2020 para cá, as equipes se enfrentaram quatro vezes no Campeonato Brasileiro. E o Corinthians leva a melhor: tem duas vitórias e marcou sete gols contra dois do rival - as outras duas partidas terminaram empatadas.

Esta edição do Brasileiro marca a quinta final seguida do Corinthians, que já ganhou dois títulos (2018 e 2020) e foi vice duas vezes (2017 e 2019).

Um dos grandes responsáveis pelo sucesso das mulheres do Parque São Jorge é o técnico Arthur Elias, que está à frente do time desde 2017.

“O clássico dessa dimensão em uma final engrandece ainda essa decisão. São as duas equipes que tiveram a melhor campanha, mesmo sendo dividido entre pontos corridos e mata-mata, na somatória geral dos pontos foram as duas equipes que mais somaram”, disse o comandante alvinegro.

No Palmeiras, o técnico é Ricardo Belli, o segundo desde de a retomada do projeto de futebol feminino pelo clube. Ele assumiu no final da temporada 2019 e foi peça importante para que elas conseguissem se firmar na elite do futebol em 2020. Esta será sua primeira final.

“Palmeiras x Corinthians é uma rivalidade histórica. Vai ser sim a maior edição de final do Campeonato Brasileiro, sem dúvidas. São as melhores defesas, os melhores ataques, frente a frente. Com certeza vai sacudir a galera”, projetou.

“Vamos enfrentar o Corinthians, uma equipe que vem de muitos anos com o projeto. O Palmeiras reativou e estamos apenas no segundo ano na elite. No primeiro ano já enfrentamos eles na semifinal, e isso mostra o esforço da direção e das atletas. Aprendemos que temos que jogar muita bola, pois temos um adversário muito bom pela frente, mas com certeza nosso grupo está preparado para esses dois jogos”, analisou Belli.

O jogo de volta ocorrerá no dia 26 deste mês, na Neo Química Arena, ainda sem poder contar com público.