<
>

River Plate passará a ter protocolo para coibir discriminação e violência de gênero

play
Atacante do River Plate pega na bola com muito efeito e faz gol sem ângulo no quintal de casa (0:09)

Ignacio Scocco divertiu a família com o chute | via @nacho.scocco32 (0:09)

Segundo o jornal Olé, o River Plate segue se modenizando tanto dentro quanto fora de campo.

De acordo com o diário, o clube deixou encaminhada a aprovação de um novo protocolo para coibir qualquer tipo de discriminação e violência de gênero na agremiação.

O veículo afirma que o documento ainda precisa ser votado e aprovado na próxima reunião do Conselho da equipe, mas que tudo já está alinhado para o "sim".

O Olé revela, inclusive, que todos os funcionários homens do River, incluindo os jogadores, já foram informados as mudanças que irão acontecer com o novo protocolo, que terá graves consequências sobre quem cometer qualquer ato de discriminação e/ou violência contra mulheres, sendo dentro ou fora do clube.

O novo protocolo foi idelizado por várias mulheres que fazem parte do quadro de funcionários e conselheiros do River Plate, em especial o grupo "River Feminista".

Agora, a equipe de Buenos Aires se junta aos outros sete times argentinos que já possuem regulamentos do tipo: San Lorenzo, Racing, Vélez Sarsfield, Rosario Central, Newell's Old Boys, Banfield e Huracán.

De acordo com o documento, o protocolo do River busca "orientar o desenvolvimento e a incorporação de uma perspectiva orientada à inclusão, ao respeito e à igualdade no clube", sendo "uma ferramente para mulheres e pessoas diversas que se encontrem em situação de violência doméstica, violência no trabalho ou violência institucional e requeiram acompanhamento, contenção ou abordagem institucional".

Após a aprovação do protocolo, serão ainda criados três novos órgãos de fiscalização no Conselho da equipe, que ficarão responsáveis pela aplicação das novas regras.