<
>

Duda Amorim vence como melhor jogadora do handebol europeu, comemora e projeta Tóquio-2020

Duda Amorim, do Gyori ATTILA KISBENEDEK/AFP

Uma das maiores jogadoras de handebol da história, Duda Amorim venceu o prêmio de melhor jogadora da Europa.

O prêmio é promovido pela Federação de Handebol da Europa e a escolha da melhor é feita pelo público, em votação.

“É uma honra estar no topo do handebol europeu. Fico muito feliz e também muito grata de ter a oportunidade de trabalhar com atletas e um clube de alto nível onde posso atingir meus objetivos. Gostaria de agradecer a todos que votaram, obrigada pelo carinho”, disse Duda em entrevista exclusiva ao espnW.com.br.

Ela atua no Gyori, da Hungria, há uma década e, em 2019, foi artilheira da final da Liga dos Campeões, anotando sete gols pelo seu time e garantindo o título sobre o russo Rostov-Don.

Mas por estar há tanto tempo no mesmo clube, Duda tem diversos momentos para relembrar. E para ela, o maior deles foi a primeira vez em que conquistou a Liga dos Campeões, que é o campeonato entre clubes mais importante do continente.

“Foi algo inesquecível pois nosso clube já tentava há anos sem sucesso. Eu cheguei em 2009 e apenas em 2013 conquistamos. Foi um momento épico”, relembrou.

Seleção brasileira e Tóquio-2020

A seleção brasileira garantiu a vaga nas Olimpíadas de Tóquio ao vencer o título do Pan em Lima no ano passado. Duda estava presente no elenco campeão e será uma das que disputará os Jogos Olímpicos em julho deste ano.

Em relação a situação do handebol no Brasil, alguns atletas criaram o ‘Atletas pelo Handebol’ para se envolverem mais nas questões burocráticas da modalidade e tentar melhora-la no Brasil. Uma das líderes do movimento era Duda.

A jogadora afirmou que está focada no trabalho dela e disse que a seleção está sendo ajudada pelo Comitê Olímpico Brasileiro, algo fundamental para que a equipe evolua até o fim do ciclo.

“Sabemos que a CBHb passa por um momento difícil, mas não temos informações sobre as ações da gestão da confederação para a solução dos problemas. Estamos esperando também desde agosto de 2019 a eleição da comissão de atletas. E por enquanto nada”, disse Duda ao espnW.

Após o título do Pan, Duda afirmou que a equipe está muito motivada, mas procurou manter os pés no chão. Para ela, o momento do Brasil no Mundial, por exemplo, foi ótima e ela viu uma grande evolução no jogo, mas ressalta: “Sinto que não temos a consistência necessária de um alto nível. Continuamos trabalhando para obter melhores resultados”.

Uma das mais experientes da equipe nacional, ela ressalta que seu sonho é conquistar uma medalha Olímpica, já que não estará no próximo ciclo.

“É um prazer estar na seleção e um prazer trabalhar com essa equipe”, disse. E finalizou: “Paralelamente, também tento inspirar a geração mais nova, e passo meus conhecimentos e experiências para aquelas que tem interesse, pois já não estarei no próximo ciclo”, finalizou.

Pela seleção, Duda foi campeã mundial em 2013 e eleita melhor jogadora do torneio. Em 2014, foi escolhida como a melhor jogadora de handebol do mundo.