<
>

De volta, Sheilla mantém a calma em relação a seleção brasileira: 'Tenho que pensar primeiro agora'

play
De volta às quadras, Sheilla fala sobre expectativas para temporada jogando pelo Minas (0:24)

A Superliga feminina começa no dia 12 de novembro (0:24)

Sheilla passou três temporadas longe das quadras, mas por um bom motivo. Ou dois, já que ela deu à luz as gêmeas Ninna e Liz. Mas a bicampeã olímpica está de volta e direto para o time campeão. Sheilla agora faz parte do elenco do Minas, atual campeão da Superliga.

Ela sabe que a responsabilidade será grande, mas o peso da experiência faz com que ela mantenha os pés no chão.

“O Minas vai jogar tudo, todos os campeonatos, vem de uma temporada que ganhou tudo e estão montando um novo time, tem que ir devagar, pensando passo a passo”, disse Sheilla, que relembrou que além da Superliga, o time também joga Supercopa, Campeonato Mineiro e Mundial.

Agora sob os comandos do técnico italiano Nicola Negro, após Stefano Lavarini ter deixado o cargo, Sheilla mostra-se confortável com a contratação de mais um técnico para manter a ‘dinastia italiana’.

“Acho que o Minas tem tomado decisões acertadas nos últimos anos, vide pelos resultados que tem tido. Eu adoro a Itália, joguei 4 anos lá, estou adorando o Nicola Negro, já conhecia ele, joguei contra ele”, falou.

E a calma de Sheilla vai além do clube, mas também para a seleção. Uma das prováveis candidatas para compor o elenco em Tóquio-2020, ela prefere esperar para pensar mais para frente.

“Tenho que pensar primeiro agora, espero que para Tóquio a gente consiga formar um grupo muito mais forte do que nesses últimos anos, acho que a gente vai fortalecer bastante nesse último campeonato, como grupo mesmo e acho que isso é muito importante”, finalizou.

A Superliga começa dia 12 de novembro e a primeira partida do Minas será às 20h30 (de Brasília) contra o Flamengo.