<
>

Na seleção feminina, Pia Sundhage projeta Olimpíada e diz que Marta precisa de 'time por trás'

play
Pia Sundhage explica importância de Marta para começo na seleção feminina: 'Conhece a cultura sueca' (1:16)

Treinadora entende que a atleta poderá fazer a ligação entre ela e as jogadoras da seleção (1:16)

Pia Sundhage convocou a seleção brasileira pela primeira vez nesta terça-feira e não deixou de fora Marta, a grande estrela do futebol feminino. A treinadora sueca falou da importância da craque, mas ressaltou como o coletivo será necessário para o trabalho ter sucesso.

“Marta é uma jogadora importante. Ela é muito importante. Mas para deixar a estrela brilhar, você precisa de um time por trás da estrela. Falei com a Marta e será especial para mim, porque ela fala sueco. Ela conhece o estilo sueco, a cultura sueca. Vou perguntar para ela no que eu preciso pensar para ser respeitosa”, disse em entrevista coletiva logo após o anúncio da lista.

“Se você olhar para a Copa do Mundo, alguns dos movimentos que ela faz, ela consegue trazer o melhor das companheiras. Jogando no Orlando, e eu vou assisti-la daqui a algumas semanas e falar com os técnicos para estarmos na mesma página, para que ela tenha suas melhores partidas na Olimpíada. Acho que ela merece isso”, afirmou Pia.

A nova comandante da seleção quer sua principal jogadora com a melhor condição física possível nos Jogos de Tóquio em 2020. Perguntada sobre as chances de competir com as melhores seleções pelas medalhas, porém, Sundhage preferiu lançar o olhar no longo prazo.

“Tem alguns meses pela frente e espero que iremos bem na Olimpíada, mas isso é só metade da resposta, porque eu olho mais à frente. Agora, temos técnico para o sub-20, sub-17. Quando eu olho para a Europa, por exemplo... Se você olha para a Espanha, que está vencendo, Japão, que está vencendo, tem futebol de base. E estou absolutamente convencida que podemos fazer o mesmo”, respondeu.