<
>

Quem são as 25 melhores jogadoras da Copa do Mundo feminina de futebol?

play
Marta projeta 'trabalho de excelência' com a seleção brasileira na Copa e fala em mesclar experiência com juventude (1:16)

A craque falou sobre a expectativa para a estreia da equipe feminina no Mundial. (1:16)

Nos últimos quatro anos pós-Copa do Mundo no Canadá, a competição aumentou e o talento se globalizou. O palco será maior do que nunca quando o torneio deste ano começar em 7 de junho em Paris.

Veja, agora, quem são as 25 melhores jogadoras que estarão em ação na França disputando o maior prêmio do futebol feminino mundial.

1. Sam Kerr | Austrália | Atacante

Kerr tem sido a goleadora mais prolífica do futebol feminino mundial. Artilheira da National Women's Soccer League (NWSL), a australiana está quebrando barreiras em seu país como nunca antes foi visto. Sua camisa é, de longe, a mais vendida do país - masculina ou feminina. Suas comemorações com cambalhotas e acrobacias são, frequentemente, vistas nos outdoors da Austrália.

2. Alex Morgan | Estados Unidos | Atacante

Após uma sequência de lesões aos 20 anos, incluindo uma Copa do Mundo de 2015 onde ela, claramente, não estava 100%, Morgan está renascendo enquanto se aproxima dos 30. Ela ainda é aquela atacante rápida que é perigosa quando recebe a bola sem marcação, mas se tornou uma atacante completa que pode segurar a bola quando necessário, abrir nas pontas e pressionar a defesa adversária.

3. Dzsenifer Marozsan | Alemanha | Meia

Duas vezes considerada a melhor jogadora da Alemanha, Marozsan liderou o Lyon para o título da Champions League, foi finalista do prêmio de melhor do mundo em 2018 (ficou apenas atrás de Marta) e será a capitã da Alemanha na Copa do Mundo. Mas foi nas Olimpíadas do Rio 2016 que a jogadora deixou sua marca, anotando o gol da vitória para garantir a primeira medalha de ouro da Alemanha no futebol feminino.

4. Amandine Henry | França | Meia

As estatísticas de assistências e gols de Henry nunca serão de saltar os olhos, mas veja uma partida inteira dela e ficará claro por que é considerada uma das melhores do mundo. É daquelas meias completas, que pode desempenhar um papel defensivo e ofensivo com a mesma maestria. Ela se esforça para roubar a bola e tem um alcance de passe fenomenal. Após ser considerada a segunda melhor jogadora do mundo em 2015, Henry está ainda mais determinada para levar a França ao título.

5. Lieke Martens | Holanda | Meia-atacante

Ela marcou o primeiro gol da história da Holanda em Copas do Mundo. Assim como seu país, Martens evoluiu muito no futebol nos últimos quatro anos. Melhor jogadora do mundo em 2017, Martens liderou a Holanda para o título da última Eurocopa. Pelo Barcelona, a jogadora anotou 14 gols e deu nove assistências na última temporada. Pela seleção, já são 42 gols com apenas 26 anos de idade.

6. Lucy Bronze | Inglaterra | Lateral

Bronze terminou em sexto na votação de melhor jogadora do mundo em 2018 e é, provavelmente, a melhor lateral do mundo. Ela é peça-chave do Lyon, time que está desde 2017, após passagem pelo Man City. Com a experiência de grandes partidas adquirida no Lyon, Bronze espera poder ajudar a seleção inglesa podendo jogar, praticamente, em toda posição do campo.

7. Eugenie Le Sommer | França | Meia

Uma das maiores artilheiras da história do futebol feminino, Le Sommer tem 257 gols pelo Lyon, equipe que venceu as últimas quatro edições da Champions League. Pela seleção francesa, são outros 74 tentos. A camisa 9 da seleção francesa espera se tornar uma heroína local ao dar para a França o primeiro grande título da história do país.

8. Wendie Renard | França | Zagueira

Renard é da ilha francesa de Martinique, mas pode ser considerada a faca suíça da seleção da França. Na última Eurocopa, Olimpíadas e duas Copas do Mundo, Renard é a terceira em toques, porcentagem no jogo aéreo e rebatidas, sendo a segunda em duelos um contra um e interceptações. Traduzindo: não existe defensora mais eficiente que a francesa. Com quartos lugares tanto na Copa do Mundo quanto nas Olimpíadas, o sucesso internacional escapou de Renard, mas após uma Copa, sempre há outra. Renard tentará o título com a França.

9. Marta | Brasil | Atacante

A mais famosa jogadora de futebol da história, Marta é um ícone do futebol mundial. Seis vezes melhor jogadora do mundo e a maior artilheira da história das Copas, Marta tem 15 gols em seis competições. Com 33 anos, ela deve fazer sua última Copa na França (mas disse que vai jogar nas Olimpíadas de Tóquio em 2020). A melhor de todas está se despedindo, o que torna imprescindível assistir todas as partidas restantes da camisa 10 do Brasil.

10. Megan Rapinoe | Estados Unidos | Meia

É difícil acreditar que ela entrará nesta Copa do Mundo sendo um ano mais nova do que Abby Wambach em 2015. Longe de ser uma veterana em tom de despedida, Rapinoe segue sendo a jogadora mais importante da seleção dos EUA. Ela tem 13 gols e 17 assistências pela seleção desde 2017 e mais 19 gols pelo Reign FC.

11. Lindsey Horan | Estados Unidos | Meia

Ela lesionou o quadríceps e as costelas nos últimos meses e ainda não jogou 90 minutos pela seleção em 2019. Com 25 anos, a MVP da NWSL tem tudo para realizar uma Copa do Mundo estupenda se estiver saudável. Horan ficou conhecida quando abriu mão de uma bolsa integral de faculdade para assinar com o Paris Saint-Germain depois de se formar no colégio. Ela é aquilo que chamamos de box-to-box, uma jogadora que faz de tudo no campo. Apenas Sam Kerr, a primeira da nossa lista, tem mais gols que Horan na NWSL de 2018.

12. Fran Kirby | Inglaterra | Atacante

Kirby apareceu para o mundo na última Copa do Mundo, fazendo com que a treinadora da seleção inglesa daquela ocasião apelidá-la de "Mini Messi". Ela não gostou muito do apelido naquela época. Mas ao longo dos últimos quatro anos, ela se tornou uma das atacantes mais letais do mundo. Apesar de seu 2019 ter sido marcado por lesões, ela continua sendo uma das jogadoras mais importantes da forte seleção da Inglaterra.

13. Christine Sinclair | Canadá | Atacante

A busca de Sinclair pela artilharia internacional de todos os tempos não parece uma corrida contra o tempo. Se vai ser na Copa do Mundo que ela marcará os quatro gols que precisa para quebrar o recorde de Abby Wambach ou não, tanto faz. O nível que Sinclair está jogando sugere que ela quebrará o recorde e fará outro - ainda - mais difícil. Seus gols, de vez em quando, passam por cima da sua grande habilidade de dar assistências. Mas não se engane, ela pode fazer isso também.

14. Vivianne Miedema | Holanda | Atacante

Será que Miedema faz gols? Bom, ela precisa de apenas três para se tornar a maior artilheira da história da Holanda com 60 gols. Eu já falei aqui que ela tem apenas 22 anos? A camisa 9 da Holanda é uma das mais temidas atacantes do mundo, tem um futuro brilhante pela frente e é uma séria candidata ao prêmio de chuteira de ouro de 2019. Ela foi a vice-artilheira da Euro de 2017 e melhor jogadora desta temporada pelo Arsenal. Com 57 gols em 74 jogos pela Holanda, as defensoras terão de ficar espertas sempre que Miedema tocar na bola.

15. Tobin Heath | Estados Unidos | Meia

Ela é a única jogadora do elenco americano que já venceu Copa do Mundo, Olimpíadas, NWSL e título universitário da NCAA, e é provável que Heath esteja no seu auge entrando na Copa. Ela tem 10 gols e sete assistências em 15 partidas pela seleção desde 2018. Ainda considerada a melhor jogadora de um contra um no elenco, ela nunca esteve mais eficiente.

16. Saki Kumagai | Japão | Volante

A capitã do Japão passa a maior parte do tempo flutuando entre as linhas defensivas e ofensivas, sendo uma das mais talentosas volantes de todo o mundo. Ela terminou em 12° na votação de melhor do mundo em 2018 e é parte do Lyon, o melhor time de futebol feminino do mundo. Sua experiência pode ajudar a seleção japonesa nessa Copa da França.

17. Amel Majri | França | Lateral

Melhor jogadora da França em 2016, Majri quer voltar aos seus dias de glória após ficar de fora da Eurocopa de 2017 por lesão. Foram 10 gols e nove assistências no campeonato francês pelo Lyon, os maiores números entre as defensoras. Com Majri na defesa, o Lyon participou de 198 partidas, vencendo 187, perdendo 9 e empatando duas. São 1.010 gols e apenas 53 sofridos - quase 20 marcados para cada gol sofrido. Se Majri tiver na França a influência que tem no Lyon, o título deve vir.

18. Crystal Dunn | Estados Unidos | Lateral/Ponta

A única questão sobre Dunn é onde ela vai jogar. Como atacante, ela marcou 12 gols e deu oito assistências desde o começo da última temporada com o domínio do seu Courage na NWSL. Pode ser como lateral, função que ela desempenhou pela seleção dos EUA por mais de um ano. Independentemente da posição, não é difícil prever Dunn tendo uma boa Copa do Mundo.

19. Kim Little | Escócia | Meia

Dona do meio de campo do Arsenal, Kim Little é o coração e a alma da seleção escocesa. Ela é sempre lembrada nas conversas de jogadoras mais técnicas do mundo e superou lesões de ligamento cruzado anterior e fratura na fíbula para estar na Copa do Mundo. Ela foi a MVP da National Women's Soccer League em 2014, quando estava no Seattle Reign. Com Erin Cuthbert e Caroline Weir, Kim Little e a Escócia querem fazer barulho na primeira Copa do Mundo da história do país.

20. Alexandra Popp | Alemanha | Atacante

Conhecida por seu vigor físico e versatilidade, Popp tem sido uma das melhores jogadores do mundo desde 2014, quando venceu o primeiro dos seus dois prêmios de melhor jogadora alemã da temporada. Membro da seleção que conquistou o ouro nas Olimpíadas do Rio 2016 e importante peça do Wolfsburg, Popp quer levar a Alemanha ao título da Copa do Mundo. "Se eu conquistar a Copa do Mundo, vai ser como a cereja do bolo", ela disse no começo do ano.

21. Caroline Graham Hansen | Noruega | Atacante

Hansen estreou pela seleção norueguesa com 16 anos e marcou o seu primeiro gol com 17. Desde então, ela só aumentou seu nível e tem potencial para ser uma das 10 melhores do mundo. Hansen liderou a Bundesliga em assistências por cinco temporadas consecutivas e, recentemente, assinou por duas temporadas com o Barcelona. Apesar de ter perdido a Copa do Mundo de 2015 por conta de lesão, Hansen está confiante em levar a Noruega ao posto mais alto do futebol mundial novamente (foi campeã em 1995).

22. Nilla Fischer | Suécia | Zagueira

Essa vai ser a quarta Copa do Mundo de Fischer, que será chamada pela 153ª vez para a seleção sueca. Esse número expressivo se junta aos três títulos alemães e um de Champions League que ela tem no currículo. Ela também tem uma medalha de bronze e uma medalha de prata nas Olimpíadas. Mas vamos aproveitar enquanto podemos. Essa será sua última Copa do Mundo, mas é provável que esteja nas Olimpíadas do ano que vem.

23. Becky Sauerbrunn | Estados Unidos | Zagueira

Ela fez parte da seleção da temporada dos EUA em todas as temporadas desde que isso foi criado, primeiro com o Kansas City FC e agora com o Utah Royals. Com 34 anos, Sauerbrunn continua sendo o pilar do sistema defensivo norte-americano. Na verdade, ela deve ser a única titular do miolo de zaga que jogou na Copa do Mundo de 2015. Um segundo título - agora na França - colocaria a zagueira na lista das melhores americanas da história.

24. Danielle van de Donk | Holanda | Meia

Muitas vezes ofuscadas pelas companheiras Lieke Martens e Vivianne Miedema, Daniele van de Donk é uma das jogadoras mais importantes da Holanda. Meio-campista completa, ela desarma e rouba bolas tão bem quanto cria e finaliza jogadas. Com 27 anos, ela marcou 11 gols e deu seis assistências nesta temporada, ajudando o Arsenal a conquistar a Superliga da Inglaterra.

25. Shanice van de Sanden | Holanda | Atacante

Outra jogadora do Lyon ... Que novidade. Shanice van de Sanden é conhecida por sua velocidade impressionante. Uma das jogadoras mais rápidas do mundo, ela causa terror nas defesas adversárias pelo lado direito do ataque. Tendo estreado na seleção com apenas 16 anos, ela foi importante para a campanha holandesa do vice-campeonato na Euro 2017. Sua habilidade de aparecer por trás da marcação e servir companheiras faz da holandesa uma ameaça constante aos times adversários.