<
>

Justiça determina eleições democráticas no atletismo, e medalhistas olímpicos pedem voto aberto temendo fraude

play
Candidato à eleição na CBAT diz que vai à Justiça para reverter impugnação da chapa e que rival sairá pela portas dos fundos (1:28)

Wlamir Motta Campos pretende desafiar Warlindo Carneiro da Silva Filho, atual presidente da Confederação e, por enquanto, candidato único no pleito da próxima terça (30) (1:28)

A disputa para definir o novo presidente da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo), em eleição marcada para esta terça-feira, dia 30 de março, saiu da esfera esportiva e foi parar na Justiça comum.

Depois de ter sua candidatura impugnada pela comissão eleitoral da CBAT, a chapa “Foco no Atleta” conseguiu, junto à 4ª Vara Cível de Bragança Paulista, cidade onde está sediada a Confederação, uma liminar para concorrer às eleições.

A chapa é encabeçada por Wlamir Motta Campos, 51, atual vice-presidente da CBAT.

Na decisão, o Juiz Rodrigo Sette Carvalho determina a homologação da chapa “Foco no Atleta”, que concorrerá contra a “Atletismo com diálogo, respeito, ética e transparência”, chapa que representa a atual administração e é encabeçada por Warlindo Carneiro da Silva Filho, 70, presidente da confederação desde 2018.

“Defiro parcialmente a tutela antecipada para declarar a chapa ‘Foco no Atleta’ formada pelos requerentes Wlamir Leandro Motta Campos e Dilson Rodrigues Belfort habilitada para participar da disputa eleitoral”, consta em trecho da decisão do Juiz.

“A fim de agilizar o cumprimento da tutela antecipada, serve o presente como ofício, a ser encaminhado diretamente pelos requerentes aos requeridos, para participação na disputa eleitoral a se realizar em 30 de março de 2021”.

A informação foi confirmada pelo escritório de advogacia de Marcelo Franklin, advogado contratado pela chapa “Foco no Atleta”, que, além de brigar pelos direitos de participar da eleição, levanta suspeitas de manobras no pleito eleitoral, principalmente sobre a participação de membros da comissão eleitoral, que teriam vínculo com o atual presidente Warlindo Carneiro da Silva Filho.

play
1:28

Candidato à eleição na CBAT diz que vai à Justiça para reverter impugnação da chapa e que rival sairá pela portas dos fundos

Wlamir Motta Campos pretende desafiar Warlindo Carneiro da Silva Filho, atual presidente da Confederação e, por enquanto, candidato único no pleito da próxima terça (30)

Transparência no voto

Há um movimento crescente entre medalhistas olímpicos, representantes dos atletas e presidentes de federações para que a eleição desta terça-feira (30) tenha voto aberto e não secreto, como costuma ocorrer.

Eles justificam o pedido como uma forma de assegurar que o pleito ocorrerá de forma limpa, sem risco de fraude. O movimento conta com nomes de peso da comunidade do atletismo, como os medalhistas olímpicos como Joaquim Cruz e Maurren Maggi.

Para eles, o sinal de alerta em busca de uma renovação foi ligado. Não só na Confederação de Atletismo como também em outras entidades esportivas brasileiras, pois há suspeitas que velhos dirigentes têm sido amparados por advogados e membros de comissões eleitorais que trabalham também junto ao COB (Comitê Olímpico Brasileiro) para se manterem onde estão.

No caso do Atletismo, não ocorria uma eleição com dois ou mais candidatos desde 1986, ano em que Roberto Gesta de Melo tomou posse e ficou por mais de 25 anos na presidência da CBAT.